06/10/2016

Atraso em transmissão tira projetos de leilão de energia de dezembro

Fonte: Valor Econômico

Os projetos de geração de energia eólica e solar nos Estados Rio Grande do Norte, Bahia e Rio Grande do Sul ficarão de fora do leilão de energia de reserva (LER) marcado para dezembro, por falta de margem de escoamento. Isso quer dizer que, por falta de linhas de transmissão que possam levar a energia até os centros de consumo, o leilão contará com oferta – e competitividade – menor, o que pode ter efeitos no preço médio final da disputa.

Segundo Élbia Gannoum, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), dos pouco mais de 20 gigawatts (GW) de energia eólica inscritos para o leilão, apenas 2 GW poderão participar, por terem escoamento. São exatamente os 2 GW de energia que a associação espera que sejam contratados na disputa.

As informações sobre o escoamento constam em uma nota técnica publicada pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) em conjunto com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

A EPE cadastrou 35 GW de projetos de energia eólica e solar para o leilão. São 841 projetos de energia eólica, somando 21,7 GW, e 419 de energia solar, cerca de 13,4 GW. Devido ao problema do escoamento, no entanto, apenas uma fração disso deve ser, de fato, habilitada a participar.

“A disponibilidade de transmissão para o leilão está bastante restrita”, disse Élbia. Segundo ela, o problema foi causado pelos atrasos nos projetos de transmissão de energia, além dos muitos leilões sem interessados por todos os lotes. “Não houve a construção dos projetos num prazo que poderia atender as necessidades da geração”, disse ela.

Outro problema que agravou a situação foi a Abengoa, que paralisou as obras de linhas de transmissão em novembro do ano passado. “A Abengoa causou um efeito bem grande nos projetos da Bahia”, disse a presidente da entidade.