14/10/2016

Horário de verão começa neste domingo com o objetivo de reduzir o consumo de energia elétrica

Na edição anterior, o Estado de São Paulo gerou uma economia equivalente a 37% do total do Brasil

horario de verão

O horário de verão, que começa à zero hora deste domingo, 16 de outubro, prevê uma economia de R$ 147,5 milhões em todo o Brasil. Na edição anterior, o Estado de São Paulo representou 37% da demanda de energia economizada em todo o país.

“O horário de verão 2015/2016 vigorou por 126 dias e São Paulo contribuiu com o país na redução da demanda em 966 megawatts (MW). Isso significa uma economia significativa com operações que seriam necessárias para manter o sistema elétrico em funcionamento”, disse o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles.

No último horário de verão, a redução no consumo de energia representou 4,5% da demanda de ponta, o que equivale a 2.598 MW, segundo o Ministério de Minas e Energia.

Os moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste devem adiantar o relógio em uma hora até o dia 19 de fevereiro de 2017.

Os principais benefícios do horário de verão estão na redução de demanda no horário de ponta, aumento da segurança operacional decorrente da diminuição dos carregamentos na rede de transmissão, maior flexibilidade operativa para realização de manutenções e redução de cortes de carga em situações de emergência no sistema elétrico.

Saiba mais sobre o horário de verão
Em dezenas de países do mundo, o horário de verão é usado há décadas como forma de usar energia mais eficiente, especialmente nos países com geração termelétrica. Embora seja importante para a economia absoluta no consumo, o horário evita o acionamento de usinas térmicas mais caras no horário de pico, que normalmente ocorre das 18h às 21h.

Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o horário de verão tem como objetivo principal a redução da demanda máxima do Sistema Interligado Nacional (SIN). Isso é possível pelo fato da parcela de carga referente à iluminação ser acionada mais tarde do que normalmente seria. O efeito provocado é o de não haver a coincidência da carga referente à entrada da iluminação com o consumo existente ao longo do dia do comércio e da indústria, cujo montante se reduz após as 18 horas.

No Brasil, o horário de verão tem sido aplicado desde 1931/1932, com alguns intervalos. Mais recentemente, passou a vigorar por meio do Decreto nº 6.558, de 8 de setembro de 2008, revisado pelos Decretos 7.584, de 13/10/2011 e 8.112/2013.