18/10/2016

ONS vai investigar falha em linhas de Itaipu

Fonte: Valor Econômico

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) abriu investigação para apurar as causas de uma falha nas duas linhas de transmissão que escoavam energia da hidrelétrica de Itaipu para o Sudeste, de Furnas, as quais sofreram um desligamento automático no último domingo, às 19h51.
O episódio interrompeu uma carga 3.200 megawatts (MW) médios nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul. Segundo a Itaipu Binacional, empresa responsável pela hidrelétrica, o problema também afetou o Paraguai, que ficou sem energia por meia hora.

Avaliações preliminares feitas pelo ONS indicaram que a falha ocorreu por uma atuação indevida de um equipamento na subestação de Ibiúna (SP), de Furnas.
“A recuperação foi muito rápida. Agora, o ONS, Furnas e os agentes envolvidos vão fazer uma avaliação técnica para investigar o ocorrido”, informou o diretor-geral do operador, Luiz Eduardo Barata, em nota.

De acordo com o ONS, em relatório divulgado ontem, a normalização da carga interrompida teve início às 20h, sendo recomposta de forma gradativa. Às 20h24, a carga foi totalmente recuperada. As duas linhas de transmissão retomaram a operação às 00h04 e às 00h33 da segunda-feira, pela ordem.

De acordo com Itaipu Binacional, todas as unidades geradoras da usina de Itaipu seguiram funcionando normalmente, mas as unidades geradoras do setor de 50 hertz (hz) ficaram “girando em vazio”, ou seja, aguardando a normalização do sistema de transmissão para produzir.
Ainda de acordo com a companhia, no momento da ocorrência, o setor 50hz da usina produzia 1.600 MW para o Paraguai e 5.200 MW para o Brasil. O sistema todo de Itaipu para Administración Nacional de Eletricidad (Ande), a estatal elétrica paraguaia, foi restabelecido às 21h15 de domingo.
“No lado brasileiro, o sistema de transmissão voltou a escoar energia de 50hz às 23h04. Por volta das 0h40, o sistema de transmissão de corrente contínua já permitia que a usina produzisse 2.600 MW para o Brasil. À 1h52, a produção já atendia a programação normal de 4.800 MW”, informou Itaipu, em nota.

Já a geração de energia eólica alcançou novo recorde diário no Nordeste no dia 11, segundo informou ontem o Ministério de Minas e Energia (MME). Na ocasião, os parques produziram 4.809 megawatts (MW) médios. O volume foi 1.153 MW médios superior ao recorde anterior, alcançado em 18 de abril deste ano, de 3.656 MW médios.
“O crescimento na produção de energia eólica segue em linha com a expansão da capacidade instalada na matriz elétrica”, informou o MME. De acordo com o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), de janeiro até setembro, foram adicionados 7.350 MW de capacidade instalada de todas as fontes na matriz, superando o esperado para todo o ano de 2016.