26/10/2016

A partir de janeiro, motores de máquinas agrícolas terão de ser 80% menos poluentes

Fonte: Cana On Line

Os fabricantes de máquinas agrícolas estão se adaptando para, a partir de janeiro do próximo ano, atenderem as normas do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). Os novos motores poderão gerar uma redução de pelo menos 80% na emissão de poluentes.

Para cumprir a determinação, fábricas deverão ter mais custos para ofertar ao mercado motores menos poluentes, o que deverá significar aumento de preços das máquinas para os produtores rurais. De modo geral, a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ) calcula um aumento de 1,5 até 3% no custo de produção.

A mudança faz parte do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve). O programa – chamado MAR-1 (Máquinas Agrícolas Rodoviárias – fase 1) – estabelece diretrizes, prazos e padrões legais de emissão pelos motores. Uma das normas que começam a valer a partir do próximo ano diz respeito ao motor eletrônico. Nenhuma máquina acima de 100 cavalos vai poder sair da fábrica sem esta tecnologia.

Os clientes de cada fabricante devem acompanhar de perto as estratégias das empresas para o cumprimento das normas e o quanto isso influenciará nos preços finais dos produtos. Uma possibilidade é negociar a aquisição de equipamentos que sejam produzidos antes de janeiro de 2017. Assim, o produtor poderá pegar ainda preços sem reajuste.

No próximo ano, os fabricantes poderão ainda comercializar – com os preços antigos – as máquinas produzidas em 2016 e que sobraram em estoque.

Posteriormente a este processo de adequação das máquinas acima de 100 cavalos, as normas do Proconve passarão a valer para os motores com até 100 cavalos.