11/10/2016

Projeto de P&D da Coelba desenvolve sensor inteligente

Fonte: Canal Energia

Com investimentos de R$ 7 milhões, equipamento envia informações da rede em tempo real e reduz tempo de atendimento

A Coelba (BA) está participando do desenvolvimento de um sensor inteligente que monitora eventos na linha de distribuição. Executado por meio do Programa de Pesquisa & Desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica, o equipamento está sendo feito em parceria com os Institutos Lactec e a fabricante Tecsys, consumindo investimentos de R$ 7 milhões. Capaz de medir a corrente de cada fase em um alimentador, ele registra todas as perturbações que acontecem em um ponto.

De acordo com José Antonio Brito, gerente corporativo de P&D do Grupo Neoenergia, o sensor consegue fazer um monitoramento que permite o envio de informações em tempo real sobre anormalidades, como uma queda de galhos de árvore. “Ele monitora e verifica se tem anormalidade. Havendo anormalidade, ele manda essa informação para um centro de controle que aciona turmas para fazer o reparo na rede de distribuição, explica.

O gerente do projeto, Francisco Santana, conta que antes da instalação do sensor, o tempo de atendimento estava em torno de quatro horas. Após a sua instalação, ele foi reduzido para 12 minutos. Segundo ele, a queda veio porque o sensor manda a informação diretamente para o centro de consumidor, sem ter a necessidade de algum consumidor reclamar. “Temos atendido ocorrências com zero de reclamação, não teve ninguém pegando o telefone ligando para a Coelba entre a ocorrência e o reparo”, avisa. Essa redução no tempo de atendimento pode impactar positivamente no DEC e no FEC da concessionária, os indicadores de qualidade do fornecimento.

O sensor inteligente possui ainda outras aplicações que serão aperfeiçoadas para um projeto maior de redes inteligentes. Santana explica que o sensor também vai ser usado para balanceamento de carga no sistema, como por exemplo, verificar se existe algum desvio de carga ou facilitar a identificação do tipo de defeito na rede. Segundo ele, os equipamentos atuais informam o defeito, mas não o especifica. “Dependendo do defeito, você aciona turmas mais ou menos equipadas ou mais rápidas ou menos rápidas”, observa Brito.

A iniciativa de dotar a rede com sensores inteligentes deve ser replicada nas outras distribuidoras do grupo, a Cosern (RN) e a Celpe (PE). Na Coelba, já são 400 sensores instalados. Brito ressalta que os sensores fazem parte de um amplo investimento feito pela Coelba que por objetivo melhorar a qualidade no fornecimento, com chaves telecomandadas e novos alimentadores. Ela ainda vai analisar qual solução melhor se aplica aos consumidores. Dentre outros projetos que a concessionária está envolvida, Brito cita um transformador inteligente, dotado de autoproteção, que também serve para balanceamento de energia na rede de baixa tensão.

Outro aspecto positivo dos sensores que Brito enfatiza é que a Tecsys, o parceiro industrial no projeto, já está fabricando e apresentando o produto para outras distribuidoras do país, como AES Eletropaulo (SP) e Copel (PR), fortalecendo o produto nacional. “Um dos objetivos tanto da própria Aneel como da lei que criou o programa de P&D era desenvolver a tecnologia nacional. Isso a gente conseguiu com bastante êxito”, conclui.