03/11/2016

ONS divulga plano de ação para São Paulo em evento na Secretaria de Energia e Mineração

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

Linhas de transmissão em construção, concluídas e obras de reforço foram debatidas com as concessionárias

 

A Secretaria de Energia e Mineração do Estado de São Paulo recebeu nesta quinta-feira, 3 de novembro, a reunião do Grupo de Trabalho do Operador Nacional do Sistema (ONS) com distribuidoras responsáveis pela construção e reforço da transmissão de energia em mais de 80 projetos no Estado.

A gerente de Planejamento da Operação Elétrica do ONS, Sumara Ticom, apresentou um balanço das obras concluídas em 2016 e mostrou preocupação com o prazo de dois projetos importantes para o sistema receptor da região sudeste.

O primeiro é a linha de transmissão de 500 quilovolts (KV), que vai de Araraquara a Taubaté, em um total de 362 quilômetros, fundamental para o escoamento da energia gerada no complexo do Madeira. O segundo projeto que recebe atenção especial do ONS são as subestações Manuel da Nobrega e Domênico Rangoni, ambas na Baixada Santista. A dificuldade está relacionada ao licenciamento ambiental, devido a áreas indígenas que necessitam de aprovações junto a Fundação Nacional do Índio (Funai).

“Precisamos de um empenho adicional caso contrário a energia gerada no Madeira não poderá vir para as regiões sudeste e sul do país. Em relação ao litoral de São Paulo, já temos carregamento para o atendimento em regime normal e a demanda aumenta durante a temporada”, afirmou Sumara.

Para o diretor-geral do ONS, Luiz Eduardo Barata, é preciso saber o limite das fontes intermitentes no Sistema Interligado Nacional (SIN). “A Itália tem hoje uma carga na ordem de 60 gigawatts médios e 20 gigawatts de geração fotovoltaica. Isso para a operação está sendo um desafio porque a rede fica extremamente esvaziada. Estamos acompanhando esse processo e para os próximos anos vamos ter que alterar nossa estratégia operacional”, disse.  

O consultor técnico da Superintendência de Transmissão de Energia da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Daniel José Tavares de Souza, apresentou estudos estratégicos e alternativos para o aumento da segurança energética em algumas regiões do Estado nos próximos 20 anos, entre elas a grande São Paulo. Souza mostrou também um levantamento para o escoamento do potencial de geração solar/biomassa na região de Votuporanga.

O Grupo de Trabalho de São Paulo do ONS se reúne semestralmente para fazer um balanço dos projetos, debater os desafios do setor elétrico nacional e discutir ações que otimizem os principais entraves enfrentados pelas empresas.

Participaram também do encontro representantes e diretores do Ministério de Minas e Energia, Furnas, Cteep, Elektro, Secretaria de Energia e Mineração, AES Eletropaulo, Emae, Cetesb, CPFL Energia, EDP Bandeirante, Copel, Alupar, CTG Rio Paraná e Consórcio Triangulo Mineiro.

Para acessar a apresentação da gerente de Planejamento da Operação Elétrica do ONS, Sumara Ticom, clique aqui.

O ONS

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é o órgão responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN), sob a fiscalização e regulação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O ONS desenvolve uma série de estudos e ações a serem exercidas sobre o sistema e seus agentes para manejar o estoque de energia de forma a garantir a segurança do suprimento contínuo em todo o País. O Operador Nacional é constituído por membros associados e membros participantes, constituídos por empresas de geração, transmissão, distribuição e consumidores livres de grande porte. Também participam importadores e exportadores de energia, além do Ministério de Minas e Energia (MME).