10/11/2016

Risco de déficit de energia no Sudeste é de quase 1% em 2017, apontam modelos

Fonte: Canal Energia

Segundo bipolo do sistema de transmissão do rio Madeira deve entrar totalmente em operação no final de dezembro

Os riscos de desabastecimento de energia nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste são, respectivamente, de 0,9% e 0,1% em 2017, informou o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) após reunião realizada na manhã desta quarta-feira, 9 de novembro. Para 2016, esse risco não existe, considerando a configuração do sistema do Programa Mensal de Operação (PMO) de novembro de 2016. Segundo o CMSE, este resultado é obtido nas simulações do modelo Newave tanto com séries sintéticas quanto com séries históricas, considerando em seus parâmetros que não há racionamento preventivo e apenas um patamar de déficit.

A expectativa é que ao final do mês de novembro os reservatórios das hidrelétricas atinjam 30,7% no Sudeste/Centro-Oeste, 80,9% no Sul, 7,5% no Nordeste e 13,7% no Norte. Em relação ao subsistema Nordeste, considerando a persistência do cenário hidrometeorológico atual e a continuidade da prática de defluência mínima de 800 m³/s a partir da UHE Sobradinho, a expectativa é de atingimento de 4,0% de armazenamento na UHE Sobradinho ao final do mês de novembro de 2016.

Sobre as perspectivas para o próximo período úmido, o Operador Nacional do Setor Elétrico informou que permanecem as condições de neutralidade no Oceano Pacífico Tropical, sendo mais provável o desenvolvimento de um episódio de La Niña de curta duração e fraca intensidade. Nessas condições é pouco provável que a situação oceânica no Pacífico exerça influência sobre as precipitações da atual estação chuvosa do Sudeste/Centro-Oeste. Há expectativa de ocorrência de chuvas generalizadas na região central do Brasil nas próximas semanas, incluindo a cabeceira do rio São Francisco e trecho incremental à UHE Sobradinho.

Ainda sobre Sobradinho, o CMSE destacou que o foco da operação da usina será a segurança hídrica e o atendimento aos usos prioritários da água. A Agência Nacional de Águas autorizou a redução da defluência da UHE Sobradinho até o limite de 700 m³/s. Foi acordado que o início dos testes deve ocorrer em patamar intermediário no valor de 750 m³/s ainda no mês de novembro.

Rio Madeira – O ONS informou que até o final de dezembro o segundo bipolo do sistema de transmissão do Rio Madeira pode entrar completamente em operação comercial. Os testes, porém, dependem da recuperação da vazão no rio. “Já foram realizados testes com transferência de potência pelo Polo 3 entre as subestações Porto Velho e Araraquara(…). A operação comercial dos Polos 3 e 4 está prevista para o final do mês de novembro e a primeira quinzena de dezembro, respectivamente. Assim, ao final do mês de dezembro está prevista a operação comercial do Bipolo 2.” Ressaltou, todavia, que este cronograma pode sofrer alterações, em função do comportamento hidrológico do rio Madeira.

Expansão – A expansão da capacidade instalada elétrica em 2016 totalizou 8.611 MW, já tendo ultrapassado o recorde de expansão anual anteriormente registrado para o sistema elétrico brasileiro (7.509 MW em 2014), antes mesmo do final deste ano. Em outubro, entraram em operação comercial 394,7 MW de capacidade instalada de geração, 65 km de linhas de transmissão e 100 MVA de transformação na Rede Básica.