15/12/2016

São Paulo registra a maior produção de petróleo e gás natural da sua história

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

Estimativa da Secretaria de Energia e Mineração paulista é que o Estado passe a ser o segundo maior produtor nacional em 2017

Cidade de Ilhabela-PEQ

O mais recente Sumário Executivo de Petróleo e Gás Natural divulgado nesta quinta-feira, 15 de dezembro, pela Secretaria de Energia e Mineração do Estado de São Paulo aponta um aumento de 15,4% na produção de petróleo e gás natural de setembro, em relação ao mês anterior. Com esse crescimento, o Estado atinge o seu recorde de produção totalizando 432,4 mil barris de óleo equivalente por dia (boe/d), o que representa 12,8% da produção brasileira.

São Paulo registrou um aumento de 57,7 mil boe/d entre agosto e setembro, devido ao aumento da produção dos campos de Mexilhão e Sapinhoá, mantendo a terceira colocação no ranking nacional, atrás do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.

“O Estado de São Paulo é o maior consumidor de petróleo e gás natural do Brasil. Nossa previsão é que o Estado se torne o segundo maior produtor do país em 2017”, disse o secretário paulista de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles.

Em setembro, a produção paulista de gás natural alcançou o recorde de 18,5 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d), que corresponde a 16,7% da produção nacional. Já a produção de petróleo atingiu o recorde de 316,3 mil barris de petróleo por dia (bbl/d), o equivalente a 11,8% da produção brasileira.

Da produção paulista de petróleo e gás natural, realizada na Bacia de Santos, 110,3 mil boe/d são extraídos no pós-sal e 322,1 mil boe/d no pré-sal. Os campos de Baúna, Mexilhão e Sapinhoá representaram 98,5% da produção do Estado, sendo o último foi responsável por 74,5% de toda produção.

A produção paulista é operada predominantemente pela Petrobras, seguida por Shell e Repsol Sinopec.

Produção brasileira

A produção nacional de petróleo e gás natural atingiu em setembro 3,4 milhões de boe/d, predominantemente originada nas bacias de Campos com 1,7 milhão de boe/d e de Santos com 1,3 milhão boe/d.

O petróleo registrou uma produção de 2,7 milhões de bbl/d, já o gás natural atingiu 110,4 milhões m³/d. Ao todo, 43,5% foram produzidos no pré-sal (1,5 milhão boe/d), 47,7% no pós-sal (1,6 milhão boe/d) e 8,8% em terra.

Para acessar o relatório completo, clique aqui.