17/02/2017

Secretaria e Unesp planejam cooperação tecnológica para energias renováveis

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

Encontro objetiva entendimentos para a cooperação entre a universidade e a Secretaria para pesquisas em energias renováveis

AV9A6829

O secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles, recebeu na sede da secretaria na última quarta-feira, 15 de fevereiro, o reitor Sandro Roberto Valentini, e os diretores dos campi da Unesp – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, para ajustarem uma forma de cooperação entre a Secretaria e a universidade para o desenvolvimento de pesquisas em energias renováveis, inclusive com a criação de um centro tecnológico da universidade, no campus do município de Rosana.

“Mobilizar os talentos da universidade em pautas que tragam soluções aos problemas em energia é a vocação de São Paulo”, afirmou o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles.

A proposta é que os alunos da universidade possam utilizar as instalações da Usina Fotovoltaica Porto Primavera, que conta com o primeiro projeto de usina fotovoltaica do Brasil a utilizar a tecnologia de placas flexíveis e rígidas em meio aquático, desenvolvido e implantado pela Cesp com recursos de P&D da Aneel, em plena operação naquela cidade, para o desenvolvimento de pesquisas e difusão de conhecimentos.

“Verificar na prática essa tecnologia será um diferencial para nosso alunos”, destacou Valentini.

A instalação de usinas solares em meio aquático representam um grande potencial para o Brasil e também podem ajudar comunidades ribeirinhas e isoladas a terem acesso a energia elétrica. A unidade solarimétrica de Porto Primavera foi projetada para alimentar sistemas auxiliares da hidrelétrica e tem capacidade de gerar energia suficiente para abastecer mais de 1.000 residências com consumo mensal de 100 quilowatt-hora (kWh). Nela foram instalados 100 painéis rígidos flutuantes de 250 watts cada um e 180 flexíveis flutuantes de 144 watts cada. Também está sendo instalada na usina a primeira planta eólica do Estado de São Paulo.

A usina tem importância fundamental no desenvolvimento de pesquisas que estudam a complementaridade das fontes solar e eólica, consideradas intermitentes, com a hídrica trabalhando na base do sistema.

Participaram do encontro o secretário adjunto de Energia e Mineração de SP, Ricardo Toledo, o subsecretário de Energias Renováveis, Antonio Celso de Abreu Junior e os professores da Unesp Carlos Eduardo Vergani, Nelson Stradiotto, Jonas Contiero, Jose Roberto Ruggiero, Carlos Alberto Canesin, Renata Maria Ribeiro, Eloi Fonseca, Helmo Kelis Morales Paredes, Alceu Ferreira Alves, Teófilo Miguel de Souza, Arthur F.de Moraes, Leonardo Theodoro Büll e Pedro Luis da Costa Aguiar Alves.

São Paulo e as energias renováveis

São Paulo vem ampliando sua importância na geração de energia fotovoltaica. A primeira usina do Estado é a de Tanquinho, no município de Campinas, com potência de 1.082 quilowatts-pico (KWp) e capacidade de gerar 1,6 GWh por ano. A segunda usina fotovoltaica está na Universidade de São Paulo – USP, na capital paulista.

O Estado também conta com empreendimentos que estão sendo instalados em Dracena e Guaimbê com potência de 270 MWp. Existem ainda em São Paulo, conectados ao sistema, 1.388 empreendimentos de micro e mini geração distribuída solarimétrica, com capacidade instalada de 7.037 kW.