07/03/2017

Absolar acredita que Fórum Iberoamericano Fotovoltaico contribuirá para o avanço da fonte solar no Brasil

Fonte: Canal Energia

Associação brasileira é cocriadora do grupo de sete entidades setoriais nacionais que busca a troca de conhecimentos e informações

Para o presidente-executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Sauaia, a criação do Fórum Iberoamericano Fotovoltaico, anunciado recentemente pela União Espanhola Fotovoltaica (UNEF), é um passo importante em prol do desenvolvimento da energia solar fotovoltaica na América Latina e na Península Ibérica.

Segundo o executivo, o fórum contribuirá para a construção de cooperações, parcerias e sinergias entre as associações fotovoltaicas da região, permitindo o compartilhamento de conhecimentos e melhores práticas. “Os principais analistas de mercado apontam a América Latina como uma das regiões de maior potencial de crescimento para o setor nos próximos anos, com destaque para o Brasil”, comenta Sauaia.

“Como representante do setor solar fotovoltaico brasileiro, a Absolar trabalhará em sintonia com as demais associações participantes, trazendo as experiências brasileiras e aprendendo com as dos países envolvidos, de modo a acelerar a adoção da tecnologia solar fotovoltaica nestas regiões”, acrescenta.

O Fórum Iberoamericano Fotovoltaico congrega sete associações do setor solar fotovoltaico da América Latina e Península Ibérica, representando os seguintes mercados: Argentina, Brasil, Chile, Cuba, Espanha, México, Portugal. O fórum possui o objetivo de promover o desenvolvimento da energia solar nestas regiões, a partir da troca de experiências e consolidação de melhores práticas nacionais e internacionais.

“O Fórum representa uma importante ferramenta para a estruturação de redes e sinergias institucionais, capazes de contribuir com solidez para a ampliação e o fortalecimento do setor solar fotovoltaico, a nível regional e internacional. Trata-se de uma iniciativa colaborativa que busca, em última análise, apoiar o esforço mundial na transição para uma economia de baixo carbono, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa e combatendo as mudanças climáticas, usando como ferramenta a energia solar fotovoltaica, uma tecnologia renovável, limpa e de baixo impacto ambiental”, comenta o presidente da Absolar.