06/03/2017

Brametal diversifica atuação e entra no segmento de geração solar

Fonte: Valor Econômico

Maior fabricante de torres para linhas de transmissão do Brasil, a Brametal planeja entrar na cadeia de geração de energia solar. A companhia firmou parceria com a Araxá Solar para fornecer equipamentos para usinas solares de grande porte. A empresa espera que a medida contribua para um aumento de 10% a 15% do faturamento em 2018. Para este ano, a expectativa é que o faturamento bruto fique em linha com 2016, de cerca de R$ 470 milhões.

A parceria com a Araxá consiste no desenho e fabricação de trackers para grandes usinas solares. O tracker é uma estrutura metálica inteligente que suporta o painel fotovoltaico e que o direciona de acordo com a posição do sol, ampliando a capacidade de produção de energia da usina.

“Em vez de fazermos acordo de transferência de tecnologia, resolvemos desenvolver uma solução própria”, afirma Ricardo Brandão, diretor da Brametal. Ele ressalta que a solução desenvolvida em parceria com a Araxá Solar tem um diferencial importante, por ser 100% nacional, o que a enquadra na linha Finame (para financiamento de máquinas e equipamentos) do BNDES. Os suportes chegam a representar até 15% do custo total da usina solar.

Segundo o presidente da Araxá Solar, Rodolfo Pinto, os suportes desenvolvidos pelas duas empresas serão customizados às necessidades dos geradores. Além de implantação de soluções turn-key (em que o fornecedor entrega o projeto concluído, pronto para ser operado), a Araxá realiza estudos e consultorias especializadas, tanto para a viabilidade e estruturação dos projetos como para o desenvolvimento de projetos básico e executivo e engenharia do proprietário.

Com relação à área de transmissão de energia, carro-chefe da Brametal e que responde por 90% do faturamento da companhia, Brandão prevê uma melhora do segmento nos próximos anos, fruto do aumento da atratividade dos leilões de transmissão, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

“Temos uma nova perspectiva para o setor, com novos competidores, empresas do exterior voltando. Penso que para os próximos três anos o mercado de concessão de linhas de transmissão vai voltar a ser o que era, sempre muito competitivo”, afirmou o executivo.

Empresa de origem catarinense e que possui unidade fabril no Espírito Santo, a Brametal é responsável pelo fornecimento de 60% das torres utilizadas no primeiro linhão que ligará a hidrelétrica de Belo Monte ao Sudeste, de mais de 2 mil km de extensão, entre outros empreendimentos.