02/03/2017

GE estende contrato com termelétrica para US$ 1,1 bi

Fonte: Valor Econômico

termica aes

A americana GE Power Services assinou um contrato de prestação de serviços com a Centrais Elétricas do Sergipe (Celse) no valor de US$ 216 milhões, prevendo operação e manutenção (O&M), além de soluções digitais que poderão melhorar a eficiência da termelétrica Porto do Sergipe, que terá 1,516 mil megawatts (MW) de potência.

O contrato é uma extensão do negócio fechado entre a GE e a termelétrica em outubro passado, envolvendo US$ 900 milhões e o fornecimento de todos os equipamentos necessários para a construção da usina, desde as turbinas até as máquinas envolvidas nas obras civis.

Com isso, o contrato total da GE com a Porto do Sergipe vai para US$ 1,116 bilhão, ou R$ 3,458 bilhões, considerando o fechamento do câmbio de sexta-feira.

A termelétrica Porto do Sergipe teve a energia contratada no leilão A-5 de maio de 2015 e tem previsão de entrada em operação em janeiro de 2020. A Celse é uma empresa criada pela EBrasil Energia e pela Golar Power (joint venture entre a norueguesa Golar LNG e o fundo americano Stonepeak Infraestructure Partners) para executar o projeto.

A duração do novo contrato da GE com a Celse é de 25 anos, disse, em entrevista ao Valor, o gerente-geral da GE Power Services para a América Latina, Ramon Paramino. Segundo ele, as tecnologias que serão implementadas vão permitir a otimização da usina em seu nível mais elevado. Dessa forma, será possível alcançar uma taxa de disponibilidade de até 96,5%.

O contrato inclui ainda soluções de segurança, que mantêm os dados do cliente seguros e impedem ataques cibernéticos.

“Nossa visão é que temos que crescer e nos diferenciar do mercado. É exatamente a extensão das nossas soluções. Achamos que, desde a integração da Alstom, temos expertise em geração, e podemos ter soluções completas. Poucas companhias podem fazer isso”, disse Paramino.

Ele destacou que, com a tecnologia da GE, será possível monitorar a termelétrica e analisar os dados operacionais. “Podemos elevar a performance da unidade a outro nível”, afirmou, completando que isso permite que seus clientes maximizem os retornos. “Vemos que o mercado brasileiro está se recuperando”, disse Paramino. Segundo ele, a GE vê o país como um mercado “muito importante” e está comprometida a ajudar o país a melhorar sua geração de energia.