06/03/2017

ONS projeta aumento da carga em quase 2% para março

Fonte: Canal Energia

Consumo da região Sul deverá apresentar crescimento de 8,5% e é o maior impulsionador do crescimento mensal

torre_transmissora_de_energia

A primeira revisão do Programa Mensal de Operação para o mês de março apresenta uma estabilidade em termos de projeção de afluências para o final do mês quando comparado ao documento original, da semana passada. A estimativa continua com vazões abaixo da média histórica em todo o país. O índice de Energia Natural Afluente esperado para o Sudeste/Centro-Oeste ficou estável em 81% da média de longo termo. No Sul a expectativa aumentou de 85% para 90% da MLT, a maior variação ante a semana anterior. Já no Nordeste e no Norte o indicador piorou 1 ponto porcentual, para 28% e 92% da média histórica de chuvas, respectivamente.

Pela segunda semana seguida o CMO está zerado no submercado Norte. No SE/CO e Sul os valores está equacionados sendo patamares de carga pesada e média em R$ 170,53/MWh e a leve em R$ 166,94/MWh, mesmo valor no Nordeste. Contudo, nessa região onde está a pior situação hidrológica, o CMO médio está em R$ 238,34/MWh, resultado da carga pesada e média estabelecidas em R$ 279,04/MWh.

A projeção de carga deu um crescimento de 0,8 ponto porcentual, para 1,9% ante a previsão da semana anterior. A perspectiva é de que no SE/CO ainda verifique um leve crescimento de 0,2%. A diferença está no Sul com perspectiva de aumento de 8,5%. No Nordeste a previsão é de alta de 2,2% e no Norte aumento de 0,3% ante o mesmo mês de 2016.

Em termos de nível de armazenamento de reservatórios a tendência apresentada pelo Operador é de redução no Sul do país, passou de 51,6% para 49,6% ao final de março. No SE/CO a projeção recuou de 46,1% para 45,9%, no Norte o volume ficou praticamente estável, passou de 65,9% para 65,8% ao encerramento de março. A projeção para o NE é de aumento ante os 22,5% previstos na semana passada para 23,1%.

A geração térmica para a semana operativa que se inicia em 4 de março, está em 7.428 MW médios. A maior parte desse volume está no SE/CO com 4.222 MW médios. A linha inflexibilidade apresenta o maior montante de energia com 4.397 MW médios. Em seguida vem 2.929 MW médios dentro da ordem de mérito e 102 MW médios por restrição elétrica. Não está prevista geração por garantia energética. Em termos de meteorologia, a expectativa para a semana operativa é de que sejam registradas precipitações nas bacias do subsistema Sul, no Paranapanema, Tietê, Grande no Paranaíba.