28/03/2017

Secretaria realiza seminário para debater a inovação e o desenvolvimento do setor mineral paulista

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

Empresários, técnicos e especialistas do setor debateram as ferramentas existentes para melhorar a produção mineral do Estado

A Secretaria de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, a Escola Politécnica da USP – Universidade de São Paulo, a Unesp – Universidade Estadual Paulista de Rio Claro e o Crea-SP – Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura realizaram nesta terça-feira, dia 28 de março, na sede da pasta, o Seminário Técnico “Inovação na Cadeia Produtiva da Mineração: uma ação urgente e necessária”, que objetiva promover iniciativas e possibilidades de inovação na atividade de mineração em seus diversos aspectos técnicos e de gestão, bem como nos mecanismos de fomento disponíveis para sua efetivação.

Na abertura do evento, o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles, lembrou do início da atividade minerária no Estado e enfatizou a importância da atividade contar com tecnologias que a tornem responsável e sustentável. “Nosso Estado é o maior consumidor de insumos minerais e reúne todas as condições de apresentar ao Brasil, um modelo exemplar em suas atividades”, disse Meirelles.

Além dos aspectos técnicos e de pesquisa, foram debatidas importantes ferramentas de financiamento para a introdução de tecnologias na produção mineral. O diretor presidente da Desenvolve SP, Milton Luiz Melo Santos, apresentou a estrutura de financiamento da agência de fomento do Governo do Estado.

Para o professor Giorgio de Tomi, do Núcleo de Apoio à Pesquisa da Mineração/USP, a mineração do século XXI deve ter resíduo zero, eficiência energética e automação. Tomi destacou a necessidade de otimizar o patrimônio mineral, melhorar relevos em áreas degradadas e contar com licença social para ser sustentável.

O engenheiro Almir Guilherme, diretor-executivo da Aspacer, apresentou as questões de sustentabilidade na exploração mineral praticada no Polo Cerâmico de Santa Gertrudes, cuja inovação tecnológica trouxe qualidade aos produtos e competividade do setor. Ainda segundo o diretor-executivo, hoje a recuperação das áreas mineradas a médio e longo prazos já é planejada no início das atividades na área de cava.

Tratando da produção de areia e caminhos para rejeitos zero, a geóloga Carla Galan do Grupo Estrutural Selecta, falou de técnicas do decapeamento do estéril por meio de escavadeira e do desmonte mecânico da areia em bancadas, com beneficiamento em operações de desagregação, peneiramento, deslamagem, classificação e secagem.

O engenheiro Toshihiko Ohashi da Metso apresentou novas tecnologias aplicadas na produção de areia de brita via seca, falando de separação de microfinos via seca e de aeroseparador estático, equipamentos de baixo custo operacional e manutenção reduzida.

O seminário contou com 17 palestras que trataram da Inovação na Atividade de Mineração; Mineração no Século XXI; Apoio ao Desenvolvimento de Tecnologias e Soluções para a Cadeia Produtiva do Setor; Inovação na Aplicação de Terras Raras; Ações atuais para sustentabilidade na exploração mineral; Produção de Areia e Caminhos para Rejeito Zero; Mecanismos de Apoio a Projetos de Inovação; Fundos de Capital Equity e seu Importante Papel em Inovação; Programas de Fomento à Pesquisa e Inovação Industrial; Os Caminhos da Inovação da Pequena e Média; dentre outros.

Acesse a íntegra de cada apresentação:

Rota Disruptiva de Processo Biotecnológico para Fabricação de Ácido fosfórico em Fluxo Contínuo e Larga Escala, geólogo Alberto Copeddê Junior, G&MA. Geologia e Meio Ambiente

Ações atuais para sustentabilidade na exploração mineral praticadas no Polo Cerâmico de Santa Gertrudes, engenheiro Almir Guilherme, Diretor Executivo da “ASPACER”

Mecanismos Financeiros para Conservação da Biodiversidade no Cumprimento de Obrigações Legais pelo Setor Produtivo, Andreia de Mello Martins, FUNBIO

Desenvolvimento de Soluções e Inovações em Operações de Lavra; Armando Bernardes Junior, Sandvik

Produção de Areia e Caminhos para Rejeito Zero,  geóloga Carla Galan, Grupo Estrutural Selecta

Mecanismos de Apoio a Projetos de Invovação, prof. Carlos Américo Pacheco, Diretor Presidente da Fundação (FAPESP)

Produção de Areia e Inovações em Sustentabilidade, Carlos Eduardo Aurichio, AB Areias

Mineração no Século XXI; professor engenheiro Giorgio de Tomi, NAP.Mineração / USP

Programas de Fomento à Pesquisa e Inovação Industrial, José Luis Gordon, Diretor de Planejamento e Gestão da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial  – EMBRAPII

Preocupação Contínua no Desenvolvimento de Inovações para Processos Produtivos e Registro de Patentes, Leandro Noronha, NEUMAN & ESSER

Os Caminhos da Inovação da Pequena e Média Empresa no Estado de São Paulo, Milton Luiz Melo Santos, Desenvolve São Paulo 

Plano de Desenvolvimento,Sustentabilidade e Inovação do Setor de Mineração e Transformação Mineral  Rafael Senra Costa, FINEP

Desenvolvimento de Soluções e Inovações no Beneficiamento de Minerais, engenheiro Toshihiko Ohashi, Metso

Mineração em São Paulo

São Paulo é o terceiro maior produtor de bens minerais do país e o maior consumidor de insumos da cadeia de construção. O Estado também é o maior produtor de equipamentos e insumos para a indústria mineral, empregando mais de 200 mil trabalhadores.

O Estado possui mais de 2.800 minas em operação, com 95% de produção em areia, brita, calcário e argila. Só a Região Metropolitana de São Paulo recebe, diariamente, mais de 9 mil carretas de areia e brita. Diferentemente de outros estados, predominantemente exportadores, São Paulo é o destinatário final destes insumos, gerando riqueza e renda local.

O objetivo da Secretaria de Energia e Mineração é estabelecer uma política que estimule a produção e o atendimento da demanda compatível com outras formas de uso e ocupação do solo.