26/04/2017

Castello Branco é designado presidente do Fórum Náutico Paulista

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

Ele já vinha coordenando o fórum e a partir de agora está oficializado na função de presidente

O vice-governador de São Paulo e secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcio Franca, designou Marco Antonio Castello Branco, chefe de gabinete da Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo, para exercer a presidência do Fórum Náutico Paulista. A resolução que determina esta designação, foi publicada no diário oficial do Estado, na sexta-feira, 21 de abril, e também aprovou o Regimento Interno do Fórum Náutico Paulista.

Para Marco Antonio Castello Branco, presidente do Fórum “A maior missão do fórum é a aproximação dos diversos agentes do setor com o governo para buscar soluções para o segmento, além de apresentar um diagnóstico das dificuldades encontradas. O Governo de São Paulo tem apoiado, cada vez mais, as ações do fórum, por entender a importância da atividade náutica e a cadeia produtiva do setor em nosso país”, afirmou.

O mandato de presidente e membros tem duração de dois anos. Tomaram posse também os membros Marcelo Poci Bandeira da Secretaria de Logística e Transportes, Gil Kuchembuck Scatena da Secretaria do Meio Ambiente e Oswaldo Rossetto Júnior da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos. Possuem ainda participação no Fórum as Secretarias de Turismo e Esporte, Lazer e Juventude. A reunião foi concluída com uma apresentação do prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, que mostrou todo o potencial de desenvolvimento do setor na cidade litorânea e as diversas ações que já estão em andamento para desenvolver a área náutica no município.

Desde sua instituição, em 2013, o fórum assumiu como prioritárias as discussões relacionadas às instalações náuticas e facilidades logísticas, contornos regulatórios, tributários e ambientais, capacitação e desenvolvimento de micro e pequenos fornecedores náuticos, geração de emprego e renda, valorização da embarcação “Made in Brazil” e “Made in São Paulo”, formas de estímulo aos eventos náuticos no Estado de São Paulo e criação de rotas e circuitos náuticos.

Ganharam destaque as questões sobre licenciamento de marinas e garagens náuticas, com o levantamento jurídico para sua regulamentação.  Também foi criado um grupo de trabalho com o objetivo de levantar os dados para produção de manual para o licenciamento e apontar as dificuldades que trazem falta de segurança jurídica para essa atividade.

Sobre o Fórum Náutico Paulista

O fórum tem por finalidade apoiar, coordenar e fomentar as ações voltadas ao desenvolvimento do setor náutico paulista, contribuindo com os diversos segmentos relacionados aos esportes, turismo, indústria, comércio e serviços, no acompanhamento e articulação das ações voltadas para a implementação das atividades do setor.

Além de integrar e aproximar os partícipes com vistas a promover o desenvolvimento e elevar a competitividade das empresas paulistas do setor náutico, promover a participação de instituições públicas e privadas e demais agentes envolvidos no setor náutico do Estado, colaborando para a integração de suas políticas e ações.

Poderá trabalhar em articulação com outros fóruns para o fortalecimento do setor e poderá contar com comissões internas e externas compostas por representantes das entidades representativas do setor.

Possui  Câmaras Temáticas que desenvolvem seus trabalhos de forma sistematizada, de caráter temporário e que atuam com a atribuição de coordenar as reuniões e zelar pelo desenvolvimento dos trabalhos.

Sobre o setor náutico

Atualmente, a Região Sudeste possui 40 estaleiros que geram mais de 83 mil empregos diretos e indiretos. Os quatro estados são responsáveis por aproximadamente 50% da produção da frota náutica. Em 2014, o mercado movimentou US$ 700 milhões, importou 204 embarcações e vendeu 6.100 jets.