18/04/2017

Eficiência energética traz economia de 3,34 GWh para distribuidoras da CPFL

Fonte: Canal Energia

Investimento de R$ 6,5 milhões evitou emissão de 2.386 toneladas de CO2

eficiencia_energetica_cpfl

Em balanço realizado pelas distribuidoras CPFL Paulista e CPFL Piratininga (SP) ao longo de 2016, diversos clientes tiveram a oportunidade de trocar freezers usados ou geladeiras antigas por modelos novos e eficientes, com descontos de até 45%. Foram substituídos 5.366 eletrodomésticos em 40 cidades das áreas de concessão das duas distribuidoras. Nomeado de “Desconto Eficiente”, o projeto gerou uma economia de 3,34 GWh, quantidade de energia suficiente para abastecer por um ano, 1.392 residências com consumo mensal de 200 kWh.

O investimento total, patrocinado pelo Programa de Eficiência Energética, foi de R$ 6,5 milhões. Em parceria com as lojas do Magazine Luiza, os objetivos da iniciativa foram os de diminuir o consumo de energia elétrica e de reduzir, em média, R$ 15 na conta mensal de luz dos consumidores. A iniciativa colaborou com 811,63 kW de demanda retirada no horário de ponta, o que trouxe mais estabilidade ao sistema e reduz a necessidade de geração térmica de energia, fonte mais cara e poluente. O projeto também contribuiu para a sustentabilidade e o meio ambiente, ao evitar a emissão de 2.386 toneladas de CO2, o que representa o plantio de 14.316 novas árvores.

De acordo com o gerente de Eficiência Energética da CPFL Energia, Luiz Carlos Lopes Júnior. Segundo ele, a empresa quer incentivar melhorias no controle do uso de energia elétrica dos clientes, como a oportunidade de substituir seu eletrodoméstico antigo. Além disso, também poderiam substituir gratuitamente sete lâmpadas incandescentes ou fluorescentes, por modelos LED, explica. Foram substituídas 44.800 lâmpadas, no período.

Para efetuar a troca, o consumidor apresentava uma conta atual da distribuidora, comprovando sua adimplência, acompanhada de documentos de identidade. Todos os novos equipamentos continham Selo Procel Inmetro “Classe A” e o eletrodoméstico antigo, entregue pelo cliente, era descartado de maneira ecologicamente correta.