06/04/2017

Uso maior de térmicas deve aumentar custo de energia

Fonte: Valor Econômico

usina termoeletrica

Em sua primeira reunião mensal sob a bandeira tarifária vermelha – que prevê cobrança de taxa extra nas contas de luz para custear o acionamento de térmicas -, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) indicou que, embora o risco de desabastecimento continua desprezível, o custo de energia tende a aumentar, devido à necessidade de ligar mais termelétricas.

No encontro, realizado em Brasília, o colegiado indicou que o risco de qualquer déficit de energia em 2017 é de 0,8% e 0,1%, para os subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste, respectivamente. Na última reunião, em março, esses índices foram de 0,3% e zero.

“Apesar de assegurado o abastecimento de energia para 2017, as condições hidrológicas desfavoráveis deverão levar a despachos térmicos mais volumosos, significando um aumento no custo da operação do sistema”, informou o CMSE, em nota.

O comitê criou um grupo de trabalho para aprofundar as análises sobre a condição de fornecimento de energia e definir formas de intensificar a divulgação desse processo a sociedade.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que prevê que os reservatórios do subsistema Sudeste/Centro-Oeste alcancem 40,5% de armazenamento no fim de abril, quando termina o período chuvoso, contra 57,6% registrados em igual período de 2016. O ONS prevê 41,7%, para o Sul, 21,1% para o Nordeste e 65,2% para o Norte.