10/05/2017

BNDES capta US$ 1 bilhão no exterior para projetos de geração eólica e solar

Fonte: Canal Energia

Operação é inédita entre bancos brasileiros e envolveu mais de 370 investidores, especialmente dos EUA e Europa

eolica_solar

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social anunciou nesta terça-feira (9) a conclusão de uma captação de US$ 1 bilhão por meio da emissão de títulos “verdes” (green bonds) no mercado internacional. A operação é inédita entre bancos brasileiros e envolveu mais de 370 investidores, especialmente dos Estados Unidos e Europa, que apresentaram demanda da ordem de US$ 5 bilhões pelos papeis.

Os recursos serão integralmente direcionados para o financiamento de projetos de geração eólica e solar de eletricidade, novos ou já existentes na carteira da instituição e situados na região Nordeste do país. Além de empreendimentos que ainda não tiveram seus desembolsos aprovados pelo banco, estão elegíveis a receber os recursos aproximadamente dez projetos já financiados, somando cerca de R$ 5 bilhões em créditos.

O perfil dos projetos é visto pelo banco como o principal atrativo da operação, reforçando o compromisso com temas como desenvolvimento sustentável. “São projetos ambientalmente consistentes em áreas pobres do semiárido, sem muitas alternativas de investimento e que serão beneficiadas com geração de emprego e renda”, explicou a diretora das Áreas de Energia, Socioambiental e Saneamento do BNDES, Marilene Ramos.

Marilene destacou o grande portfólio do banco na área de eólica, que além da quantidade expressiva de projetos reúne eficiência e grande produtividade na geração, em razão do regime de ventos regulares verificados em boa parte do Nordeste brasileiro. O BNDES aprovou 87 operações de crédito entre 2003 e 2016, totalizando R$ 28,5 bilhões de crédito e refletindo em um aumento de capacidade instalada de cerca de 10,7 mil MW.

O diretor das Áreas de Crédito, Financeira e Internacional do BNDES, Claudio Coutinho, destacou o grande interesse dos investidores internacionais na operação, que inicialmente serviria para captar US$ 500 milhões. A ampliação do montante, segundo ele, foi reflexo do apelo dos títulos junto ao mercado estrangeiro. “É uma captação com efeito simbólico, que evidenciou aos investidores a qualidade da nossa carteira de projetos”, afirmou.

A operação, que foi coordenada pelos bancos Crédit Agricole, JP Morgan e Bank of America Merrill Lynch, resultou em uma taxa de retorno de 4,80% ao ano para quem investiu. Isso representa um prêmio de 269,3 pontos-base sobre as taxas dos papeis do Tesouro dos Estados Unidos e cerca de 60 pontos-base sobre os títulos externos do Brasil. Uma vez emitidos, os títulos verdes do BNDES serão listados na Bolsa Verde de Luxemburgo.