19/07/2017

Alesp e Secretaria de Energia e Mineração iniciam estudos para projeto de eficiência energética na sede do parlamento estadual

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

Técnicos da Secretaria estão dando apoio à Assembleia para implantar projetos que proporcionem economia de energia em sua sede

Alesp

A Secretaria Estadual de Energia e Mineração está trabalhando com a Alesp – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, para desenvolver o projeto de eficientização energética do prédio do legislativo paulista, localizado na zona sul da Capital, que consiste na implantação de usina fotovoltaica, transformação do prédio em edifício inteligente e a introdução do gás natural para abastecer o sistema de ar condicionado. Além de reduzir a conta de luz do parlamento, o projeto tem como objetivo promover as energias renováveis junto à população.

A ideia surgiu no encontro do secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles, com o presidente da Alesp, Cauê Macris, em abril deste ano, quando trataram de pautas do setor energético paulista.

Nesta quarta-feira, 18 de julho, o subsecretário de Energias Renováveis, Antonio Celso de Abreu Junior, e os técnicos da pasta se reuniram com o secretário administrativo da Alesp, Joel Oliveira e com Alvaro Sedlacek, diretor de negócios da Desenvolve SP, para dar início aos trabalhos.
Inicialmente a Secretaria fará estudos técnicos para subsidiar a Alesp na possibilidade de migração para o mercado livre de energia, com o objetivo de diminuir os custos com energia elétrica na Assembleia.

Em seguida, serão desenvolvidos três projetos distintos que visam a economia de energia elétrica. O primeiro será a implantação de painéis solares fotovoltaicos, que ajudarão no suprimento de energia consumida pelas dependências da Alesp.

Numa segunda etapa, em outro projeto, o prédio será dotado de automatização de sistemas hidráulicos, de iluminação e de ar condicionado, com sensores de presença para interrupção ou diminuição da iluminação, com o conceito de edifícios inteligentes. Todos os sistemas serão desenvolvidos com a preocupação com o meio ambiente, com aproveitamento de águas pluviais e janelas que privilegiam a iluminação solar, em uma concepção ambientalmente sustentável.

Em uma etapa posterior, existe a possibilidade de implantação de cogeração de energia a gás natural, para abastecimento de sistemas de condicionamento de ar, mais modernos do que os existentes atualmente.

Todos os projetos serão financiados com recursos da própria Alesp e poderão contar com a Desenvolve SP, que participa dos estudos.