04/08/2017

Distribuidoras sinalizam que haverá demanda para leilão de energia neste ano

Fonte: Canal Energia

Segundo a Abradee, demanda para 2022 já justificaria a contratação de nova capacidade de geração

demanda leilão

O presidente da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), Nelson Leite, disse que está otimista de que haverá leilão neste ano para contratação de nova capacidade de geração. “Temos uma sinalização de que vai haver demanda por contratação de energia para o horizonte de 5 anos. Sabemos disso pelo nível de contratação das distribuidoras que está abaixo de 100% [em 2022]”, disse o executivo à Agência CanalEnergia após participar de evento em São Paulo nesta quinta-feira, 3 de agosto.

O país passa por um processo recessivo no consumo de energia elétrica, reflexo da crise econômica que fez com que setores importantes como a indústria reduzissem a produção. Em razão disso, o governo federal cancelou todos os leilões de geração em 2016. As companhias geradoras de energia aguardam com apreensão a retomada dos leilões para seguir investindo no país e evitar o desmantelamento da indústria de energia.

Na semana passada, o governo publicou uma portaria pedindo que as distribuidoras informem suas necessidades de contratação de energia para o período entre 2018 a 2023. Segundo Leite, essa declaração de demanda não é definitiva e irrevogável como é feita tradicionalmente antes de um eventual leilão. “É só uma sondagem para ter uma ideia da perspectiva de mercado. As empresas estão trabalhando nesses números…Para o horizonte de 2022, já haveria demanda para leilão”, disse.

Leite informou que com a última rodada do MCSD também se abriu a probabilidade para a realização de um leilão de energia existente mirando o ano de 2020. Por conta de uma mudança recente na legislação, governo agora pode realizar leilão de energia existe com horizonte de até três anos à frente e não apenas só A-1. “Eu estou com uma visão positiva com a possibilidade de realização de leilão para contratação de energia neste ano”, disse o representante das distribuidoras.