18/09/2017

Diretora da Associação nuclear mundial pede investimento em energia limpa

Fonte: PetroNotícias

A diretora-geral da Associação Nuclear Mundial, Agneta Rising, conclamou os governos, os órgãos especialistas e a indústria nuclear a fazer mais para garantir que a energia nuclear possa contribuir plenamente com a sociedade para atender às futuras necessidades energéticas limpas. Sua declaração foi durante a realização do Simpósio que a World Nuclear Association (WNA) está realizando em Londres. Observando que a geração nuclear vem fornecendo eletricidade com baixo teor de carbono há mais de 60 anos, Rising fez um apelo por esta ação: “O mundo não está no bom caminho para fornecer eletricidade confiável e acessível para nossa população global, ao mesmo tempo em que cumpre nossos objetivos ambientais. O acesso à eletricidade permanece fora do alcance de centenas de milhões de pessoas”.

Na palestra que realizou, Agneta Rising observou que, na conferência de mudança climática de Paris há quase dois anos, os governos se comprometeram a manter o aumento das temperaturas globais abaixo de 2 graus. “Precisamos fazer mais”, disse ela. “A energia nuclear é uma fonte provada de energia confiável, econômica e limpa com benefícios públicos significativos. Em 2015 e 2016, 20 novas usinas nucleares começaram a fornecer eletricidade. Cerca de 10 GWe de nova capacidade nuclear foram adicionados à rede em cada ano. Este é um valor maior que o observado nos últimos 25 anos. A geração nuclear aumentou anualmente nos últimos quatro anos “.

As últimas projeções do Relatório de Combustíveis da Associação, divulgadas neste simpósio, sugerem que – a menos que sejam tomadas medidas – o ritmo de crescimento da geração nuclear vai diminuir. Rising disse que : “Sob nosso caso de referência, a projeção para 2035 é de 482 GWe. O cenário superior, onde os governos e as empresas conseguem cumprir seus planos declarados de capacidade nuclear e nuclear, deverá atingir 625 GWe”.

Referindo-se à iniciativa da Harmonia da Associação, lançada no seu Simpósio em 2015, a Rising afirmou que a indústria nuclear estabeleceu o objetivo de abastecer 25% da eletricidade mundial até 2050, o que significará a construção de 1000 GWe de nova capacidade nuclear. Essa expansão da capacidade nuclear é viável, disse Rising, e exige nova construção nuclear às taxas que a indústria obteve nos anos 80: “Mas mesmo nosso cenário superior não seria suficiente para atingir este objetivo climático. O nuclear precisa fazer mais. Ação é necessária em três áreas principais para permitir que a geração nuclear cresça a um ritmo mais rápido. Isso exigirá a reforma dos mercados de energia, regulação e nossa percepção de segurança para tornar possível “.DCD

“Precisamos de condições equitativas nos mercados de energia que utilizem os já existentes recursos energéticos com baixas emissões de carbono já existentes e impulsionam o investimento em recursos adicionais de energia limpa. Um componente fundamental disso é que a energia nuclear deve ser incluída em todas as outras tecnologias com baixa emissão de carbono. Como o único recurso gerador de emissão zero que pode ser escalado para atender à demanda real, a energia nuclear também deve receber reconhecimento e compensação por sua contribuição para a confiabilidade do sistema e para outros benefícios públicos .”

E mais: “Precisamos de um paradigma de segurança efetivo centrado no bem-estar público genuíno, onde os benefícios para a saúde, o meio ambiente e a segurança da energia nuclear são valorizados quando comparados com outras fontes de energia. E precisamos de processos regulatórios harmonizados para fornecer um licenciamento nuclear mais consistente, eficiente e previsível internacionalmente regime que permite soluções padronizadas, para facilitar o crescimento significativo da capacidade nuclear, sem comprometer a segurança e a segurança “.

Comparando os custos de gerações solar e eólica com a nuclear, Rising disse que “Essa é uma ótima notícia, mas eles não são tão baixos quanto a energia nuclear. Você precisa olhar para o custo nivelado da eletricidade, que é a maneira mais justa de comparar, e então você vê que a nuclear é melhor. E a outra energia, suas fontes, também precisam de apoio extra para o sistema. Se isso também é adicionado, então o nuclear se destaca ainda mais. Além disso, a energia nuclear também é um investimento de 60 a 80 anos, é um investimento sustentável e isso é algo que não tem parâmetro.”