14/09/2017

Publicado acordo em que BID doará R$ 2 milhões à Secretaria de Energia e Mineração para aplicar em projetos de energia solar e resíduos sólidos urbanos

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

Os fundos apoiarão na consolidação de uma matriz energética ambientalmente sustentável no Estado

O Governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin, participou da Assinatura do Dejem Ambiental+Início de Operação das Placas Fotovoltaicas do Parque Villa Lobos. Local: São Paulo/SP. Data: 26/05/2017. Foto: Alexandre Carvalho/A2img

O Governo de São Paulo, publicou no Diário Oficial desta quinta-feira, 14 de setembro, os termos do convênio de cooperação técnica no valor de 600 mil dólares, aproximadamente 2 milhões de reais, para desenvolver ações de geração distribuída com foco em energia solar e na utilização de resíduos sólidos urbanos na produção de eletricidade, assinado em 30 de agosto passado pelo secretário estadual de Energia e Mineração, João Carlos Meireles, e pelo representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán.

“Com esse convênio, São Paulo dá mais um passo na consolidação de uma matriz energética ambientalmente sustentável com o fortalecimento da energia solar fotovoltaica, além de apontar caminhos para o país na utilização do lixo como fonte de energia”, disse Meirelles.

O valor será aportado a fundo perdido pelo Banco por meio da Iniciativa de Qualidade de Infraestrutura do Japão e terá duração de três anos para aplicação nos projetos que serão acordados entre a Secretaria e o BID. O governador Geraldo Alckmin já havia autorizado a operação ainda no mês de.

O programa prevê a contratação de estudos e serviços de consultoria para avaliação do potencial de uso de energia fotovoltaica em geração distribuída em edifícios públicos e desenvolvimento de sistemas solares fotovoltaicos em geração distribuída.

O BID também financiará a análise do potencial de geração de energia a partir de resíduos sólidos urbanos (RSU) e o desenvolvimento de um projeto básico de geração de energia com RSU em São Paulo. Com isso, o estado quer fortalecer as energias renováveis, que já representam 60% na matriz energética paulista.

A Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo dará como contrapartida o suporte aos consultores contratados e o apoio técnico para a viabilização dos projetos em municípios a serem identificados.