09/10/2017

Campinas, Jundiaí e Paulínia foram responsáveis pelo consumo de 27,4% da energia na região em 2016

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

A região é a segunda no ranking do Estado em consumo de energia, participando com 20,3% do total

O Anuário de Energéticos por Município do Estado de São Paulo do ano de  2016, divulgado nesta sexta-feira, 29 de setembro, pela Secretaria de Energia e Mineração, mostra que os municípios da região administrativa de Campinas foram responsáveis pelo consumo de 20,3% de todos os tipos de energia utilizados no Estado em 2016, o equivalente a 8,5 milhões de toe (tonelada de óleo equivalente).

A cidade de Campinas continua liderando o ranking de consumo de energia na região, respondendo por 13,9% do total, seguida por Paulínia com 7,3%, e Jundiaí com 6,3%. Os insumos mais utilizados foram os derivados de petróleo, energia elétrica e gás natural.

“A região de Campinas teve uma retração no consumo de energia de 4,4% em relação ao ano anterior. Apesar de ser uma queda expressiva, está abaixo da média estadual que foi de 4,8%. Isso mostra que a região, que é fortemente industrializada, sofreu com a desaceleração da economia, mas em 2017 a expectativa é de retomada do consumo”, comenta o secretário de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, João Carlos Meirelles.

O consumo de energia elétrica na região também foi expressivo, com um total de 25,6 terawatts/hora (TWh), sendo 12,9 (TWh) para a indústria, 5,9 TWh para as residências  e 4,2 TWh para o setor comercial. No total a região consumiu 20,2% de toda a eletricidade utilizada no Estado. Outro destaque foi o grande consumo de gás natural, que atingiu 1,7 bilhão de m³ ou 33% do total consumido no Estado.

Os combustíveis automotivos mais consumidos na região em 2016 foram: 2,3 bilhões de litros de óleo diesel (19,2% de todo Estado), 1,8 bilhão de litros de gasolina (18,5% do Estado) e 1,7 bilhão de litros de etanol (20% do Estado).

Em 2016, o consumo de energia no Estado de São Paulo foi de 41,9 milhões de toe (tonelada de óleo equivalente). Os dados excluem autoprodução de eletricidade, lenha e derivados, carvão mineral e derivados e os não energéticos de petróleo.

Regiões

A região metropolitana de São Paulo foi a que mais utilizou energia em 2016, consumindo 39,4% do total do Estado. Em seguida aparecem as regiões administrativas de Campinas (20,3%), Sorocaba (7,4%), São José dos Campos (6,2%), São José do Rio Preto (4,2%), Santos (3,5%), Ribeirão Preto (3,2%), Central (2,5%), Bauru e Marília (2,4%), Araçatuba e Presidente Prudente (1,8%), Franca (1,5%), Itapeva (1,3%), Barretos (1,2%) e Registro (0,9%).

Sobre o Anuário

O Anuário de Energéticos por Município no Estado de São Paulo 2016 apresenta dados sobre os principais energéticos consumidos pelos 645 municípios paulistas – energia elétrica, gás natural, etanol e derivados de petróleo, bem como as respectivas emissões de dióxido de carbono (CO2).

O documento é uma ferramenta para gestores municipais, em parceria com o governo estadual, desenvolver atividades regionalizadas de planejamento energético e também para que a iniciativa privada utilize em estudos e projetos que tenham a energia como insumo fundamental para seu desenvolvimento.

As principais informações do anuário podem ser acessadas na ferramenta Dados Municipais, com link disponível na homepage do site da Secretaria de Energia e Mineração. O arquivo com o estudo completo também está disponível na Biblioteca Virtual do hotsite Dados Energéticos. Para acessar a ferramenta online ou o pdf acesse www.energia.sp.gov.br 

 

RMCampinas_Page_1
RMCampinas_Page_2