28/11/2017

BNDES facilita regra para financiamento de energia

Fonte: Valor Econômico

O BNDES flexibilizou as condições de financiamento para empreendimentos destinados aos leilões de transmissão e geração de energia deste ano. As regras dos empréstimos para os projetos dos certames de dezembro estão menos rígidas em relação à nova política de financiamento do banco estatal lançada em janeiro na gestão de Maria Silvia Bastos Marques.

Com relação à geração de energia, a principal mudança é com relação à participação máxima do banco sobre o valor dos itens financiáveis. Pela nova política essa participação era dividida por categoria, sendo 80% para energia solar, 70% para energia eólica e 50% para hidrelétricas e térmicas. Para os leilões de dezembro, porém, o BNDES financiará até 80% para todos os projetos, independentemente da fonte de energia.

Os empreendedores que saírem vencedores dos leilões de geração poderão ainda escolher qual taxa preferem para o seu financiamento junto ao BNDES: Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), a nova Taxa de Longo Prazo (TLP) e moeda IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

Na área de transmissão, as condições de financiamento para os projetos serão as mesmas daquelas aplicadas para a licitação do tipo, no primeiro semestre do ano. Naquela ocasião, contudo, o custo do financiamento para projetos de transmissão era a taxa de mercado. No leilão de dezembro, o BNDES permitirá ao investidor escolher entre IPCA e TLP. Além disso, com relação ao financiamento de máquinas e equipamentos, o cliente poderá optar pelo financiamento em TJLP, além de TLP e IPCA.

“Dessa maneira o BNDES dá continuidade à política de apoio à expansão da capacidade de geração e transmissão de energia do sistema elétrico brasileiro e passa a oferecer condições mais flexíveis que permitem acomodar as diversas estratégias empresariais dos distintos grupos econômicos”, informou o banco de fomento em comunicado sobre o assunto, divulgado ontem.

O leilão de transmissão está marcado para 15 de dezembro. Já os leilões de energia ocorrerão em 18 (A-4) e 20 de dezembro (A-6). Os leilões A-4 e A-6 negociarão contratos de energia para início de fornecimento em 2021 e 2023, respectivamente. No A-4, podem participar hidrelétricas, térmicas a biomassa, eólicas e usinas solares. No A-6, poderão participar hidrelétricas, térmicas a gás natural, carvão e biomassa e eólicas.