06/11/2017

Com bandeira vermelha no 2º patamar, Itaipu abre comportas por excesso de chuvas

Fonte: O Estado de S.Paulo

A usina hidrelétrica de Itaipu, a maior do País, abriu suas comportas para escoar o excedente de água em seus reservatórios. A medida ocorre por causa das chuvas abundantes na região de Foz do Iguaçu, segundo a empresa que administra a usina. A abertura das comportas também ocorre em meio a um aumento no valor da cobrança da conta de luz, com uma taxa extra de R$ 5,00 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

O vertimento das águas do rio Paraná começou às 20h de sexta-feira, 3, e deve durar ao menos até o fim de domingo. Neste sábado, o descarte de água atingiu mais de 2,4 mil metros cúbicos por segundo, o dobro da média normal da vazão das Cataratas do Iguaçu. Segundo a Itaipu Binacional, a usina atualmente produz em alta capacidade para atender o sistema elétrico do Brasil e do Paraguai.

Ontem, o Comitê de Monitoramento do Sistema Elétrico (CMSE) decidiu manter a operação de térmicas mais caras, apesar de uma melhora na expectativa de chuvas em novembro. A decisão mantém o despacho das térmicas, que fornecem energia ao sistema elétrico por um preço mais alto, até o dia 10 de novembro. O Custo Marginal de Operação (CMO) para o período caiu mais de 40% ante a semana anterior, para 479,88 reais/MWh, com a previsão mais otimista de chuvas. O comitê decidiu manter o despacho das usinas térmicas com Custo Variável Unitário (CVU) de até 702,50 reais/MWh.

Há cerca de uma semana, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu manter o segundo patamar da bandeira vermelha nas contas de luz em novembro. A agência justifica a medida com a estiagem na região central do País, que tem afetado o nível dos reservatórios das hidrelétricas.

A seca, que não atinge a região de Itaipu, levou o governo a realizar avaliações semanais sobre as condições de fornecimento de energia no País. A usina já havia aberto o vertedouro há pouco mais de quatro meses, no dia 28 de junho.