23/11/2017

Subsecretário de Energias Renováveis apresenta o Programa Paulista de Biogás para grupo de empresários franceses

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

Embaixada da França no Brasil busca novas parcerias e oportunidades de negócios

A pedido da Business France, Serviço Comercial da Embaixada da França no Brasil, o subsecretário de Energias Renováveis da Secretaria de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, Antonio Celso de Abreu Junior, recebeu nesta quinta-feira, 23 de novembro, uma comitiva de empresários que atuam no setor de biogás e tratamento de resíduos sólidos urbanos que estão no país em busca de oportunidades e conhecer a regulamentação do setor.

O subsecretário apresentou as políticas públicas do Estado para o aumento da geração de energia em São Paulo a partir de fontes renováveis e destacou o Programa Paulista de Biogás.

“Estamos nos preparando para estabelecer e anunciar o percentual mínimo de biogás/biometano que será inserido na rede paulista de gás canalizado. Essa quantidade será validada pelo Conselho Estadual de Política Energética e depois encaminhada ao governador Geraldo Alckmin por meio de um projeto de lei que deverá ser validado pela Assembleia Legislativa” explicou Abreu Junior.

No projeto em discussão, as distribuidoras de gás que atuam em São Paulo ficam obrigadas a adquirir um percentual mínimo de biogás/biometano produzido no Estado e distribuir para o mercado regulado.

O biometano oriundo da vinhaça ou biogás de resíduos sólidos urbanos terá mais um incentivo através de uma política pública para o desenvolvimento e aproveitamento desse potencial no Estado.

“Com a obrigatoriedade desse percentual estaremos estimulando novos produtores, pois queremos que o mercado se expanda sozinho através do livre-mercado”, concluiu o subsecretário.

Segundo o gerente comercial do setor de energia, minas e meio ambiente da Embaixada da França no Brasil Arthur Orlando, as empresas buscam identificar no Brasil potenciais de negócios relacionados à cogeração de energia, resíduos urbanos e efluentes.

“No Estado de São Paulo existe grande geração de resíduos sólidos urbanos, líquidos oriundos da atividade industrial, empresas com capacidade de investimento em novas tecnologias ambientalmente competitivas e grande demanda por energia. Características que as empresas francesas buscam para desenvolver novos projetos”, disse Orlando.

Participaram também da reunião o presidente da Ar-Val, Didier Bec, Amr Chamaa da Innolab; Julian Jedrusiak da Green Creative e o diretor da Valgo, Karlos André, além da assessora especial da Subsecretaria de Energias Renováveis, Marília Fanucchi.