16/01/2018

Museu da Energia de São Paulo será reaberto em 25 de janeiro no centro da Capital

Fonte: Museu da Energia

Novas salas e recursos audiovisuais abordam temas como história da iluminação pública; em exposição temporária, artistas Regina Silveira e Guto Lacaz dialogam com a temática “energia e água”

No dia 25 de janeiro (quinta-feira), aniversário de 464 anos de São Paulo, a Capital paulista recebe de presente a reabertura de um relevante equipamento cultural localizado no Centro: o Museu da Energia de São Paulo (Alameda Nothmann, 184). Após um ano fechado, o espaço, mantido pela Fundação Energia e Saneamento, reabre com patrocínio via Lei Rouanet da CTG Brasil, segunda maior geradora privada de energia do país, e traz novas salas e recursos audiovisuais que abordam temas como a história da iluminação pública na cidade e o uso sustentável da energia, além de um “Espaço das Águas”. Aberto de terça a sábado, das 10 às 17 horas, o espaço tem entrada gratuita. Na data, serão oferecidas visitas monitoradas às 11, 14 e 16 horas.

Além das novas salas e recursos audiovisuais, o Museu da Energia inaugura a exposição temporária “Encontros improváveis de um lugar em comum”, que apresenta obras dos artistas multimídia Cadu, Guto Lacaz, Paulo Nenflídio e Regina Silveira. Espalhadas pelos dois andares do Museu, as obras dialogam, de forma particular, com os temas “água e energia”. “A proposta é trazer novas linguagens sobre os temas já abordados pelo Museu com um olhar poético e crítico das artes visuais”, explica Luciana Nemes, curadora da mostra temporária e coordenadora do Museu da Energia. A exposição temporária estará aberta ao público até 24 de junho.

“Contribuir com o desenvolvimento sustentável das comunidades onde atuamos está entre as prioridades da CTG Brasil. O patrocínio ao Museu da Energia mostra o nosso comprometimento com a cultura e educação, além da preservação da história do setor de energia no Brasil”, diz Salete da Hora, diretora de Marca, Comunicação & Sustentabilidade da CTG Brasil.

NOVAS ATRAÇÕES

Instalada no andar térreo do Museu da Energia, uma nova sala apresentará ao visitante, por meio de vídeos, fotos e objetos museológicos, a história dos serviços de iluminação pública na Capital, desde os tempos dos lampiões abastecidos a óleo de peixe, no século 19, até a chegada da energia elétrica e as mudanças que esta acarretou na vida cotidiana do paulistano, muitas vezes registradas pelo olhar de poetas como Oswald de Andrade.

No andar superior, o destaque fica por conta do “Espaço das Águas”, ambiente que aborda tanto a história da relação da cidade de São Paulo com suas águas como o caminho que esta percorre, dos reservatórios até a torneira, além de questões atuais sobre a necessidade do uso consciente dos recursos hídricos.

As novas salas contam com vídeos desenvolvidos pela produtora Trilha Mídia, dos diretores Ricardo Martensen e Felipe Tomazelli, vencedores do festival francês Biarritz América Latina 2017, com o prêmio de melhor documentário pela obra “Cine São Paulo”.

Na área externa do Museu, haverá um local permanente para exposições de grafites e pinturas murais com temática relacionada aos temas energia e água. Anualmente, novos artistas serão convidados para a reformulação estética do espaço. Mônica Martins, proprietária da Galeria Fresta, assina a primeira curadoria da área externa do Museu, que terá a participação de Binho Ribeiro, Tinho, Bieto, Inea, Gallé, Ficko, Célio, Mogle e Paulo Ito. O projeto tem como objetivo criar uma área de apreciação, convívio, reflexão e expressão artística na região do entorno do Museu, nos Campos Elíseos. Os grafites serão realizados entre os dias 18 e 24 de janeiro e os artistas estarão apoiando a ação com o uso de material próprio.

ACESSIBILIDADE

Para tornar a experiência do público com deficiência visual mais completa, foram desenvolvidos mapas táteis dos dois pavimentos do Museu da Energia, além da reprodução, em 3D, dos moldes originais dos postes do Teatro Municipal instalados na sala de Iluminação Pública. Estão previstas, ainda para o primeiro semestre de 2018, a produção de outras peças de acessibilidade, entre elas maquetes, pranchas táteis com detalhes da arquitetura do casarão do Museu da Energia, e áudio-descrição e vídeos em libras, a serem disponibilizados no formato tablet.

SOBRE A FUNDAÇÃO ENERGIA E SANEAMENTO

Criada em 1998, a Fundação Energia e Saneamento pesquisa, preserva e divulga o patrimônio histórico e cultural dos setores de energia e de saneamento ambiental. Atuando em várias regiões do Estado de São Paulo por meio da Rede Museu da Energia (São Paulo, Itu e Salesópolis) e do Núcleo de Documentação e Pesquisa, realiza ações culturais e educativas que reforçam conceitos de cidadania e incentivam o uso responsável de recursos naturais, trabalhando nos eixos de história, ciência, tecnologia e meio ambiente.

SOBRE A CTG BRASIL

Criada em 2013, a CTG Brasil é uma subsidiária 100% controlada pela China Three Gorges Corporation. Com investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, o portfólio da CTG Brasil hoje tem uma capacidade total instalada de 8,27 GW.  Segunda maior geradora privada de energia do país, a CTG Brasil conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente.

SERVIÇO

REABERTURA DO MUSEU DA ENERGIA NO ANIVERSÁRIO DE SÃO PAULO

Quando? Quinta-feira, 25 de janeiro de 2018, a partir das 10 horas.

Endereço: Alameda Nothmann, 184, Campos Elíseos, São Paulo – SP

Funcionamento do Museu da Energia: terça a sábado, das 10 às 17 horas.

Informações: 11 3224 1489 ou saopaulo@museudaenergia.org.br

ENTRADA GRATUITA

www.museudaenergia.org.br