22/02/2018

Produção de petróleo da estatal no país cai em janeiro

Fonte: Valor Econômico

A produção média de petróleo da Petrobras em campos nacionais em janeiro foi de 2,1 milhões de barris diários. O volume, 5,7% inferior em relação a igual período de 2017 e 1% menor em relação a dezembro, está em linha com a meta traçada pela empresa para 2018.

Sobre a queda da produção nacional em janeiro, na comparação com o mês anterior, a Petrobras atribuiu o recuo à manutenção da unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de óleo e gás (FPSO, na sigla em inglês) Capixaba, navio que opera no Parque das Baleias, na Bacia de Campos, e à cessão de 35% dos direitos do campo de Lapa para a Total, no pré-sal da Bacia de Santos.

Em encontro com jornalistas realizado no início deste mês, o diretor de Desenvolvimento da Produção e Tecnologia da Petrobras, Hugo Repsold, disse que, para o primeiro semestre deste ano, apenas duas plataformas estão previstas para iniciar a operação: a P-74, no campo de Búzios, e a unidade de Tartaruga Verde e Mestiça, na Bacia de Campos.

De acordo com o plano de negócios e gestão 2018-2022 da Petrobras outros cinco sistemas de produção estão previstos para iniciar a operação este ano: P-67 (Lula Norte), P-68 (Berbigão), P-69 (Lula Extremo Sul), P-75 (Búzios 2) e P-76 (Búzios 3).

“O grande salto na produção acontece a partir de 2019, com o ‘ramp-up’ [aumento gradual] da produção das plataformas deste ano”, disse o executivo, na ocasião.

Considerando petróleo e gás natural, a Petrobras informou ontem que a produção somou 2,7 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d) em janeiro, volume em linha com o registrado em dezembro. Desse total, 2,6 milhões de boe/d foram produzidos no Brasil e 97 mil boe/d no exterior.

Considerando também a parte de seus parceiros, a produção da Petrobras em janeiro alcançou 3,3 milhões de boe/d, sendo 3,2 milhões de boe/d no Brasil. No exterior, a produção média foi de 61 mil bpd, em linha com o resultado de dezembro.

A produção apenas de gás natural da companhia, excluído o volume liquefeito, subiu 1% em relação a dezembro, para 78,7 milhões de metros cúbicos diários. No exterior, a produção de gás recuou 7,4%, para 6,2 milhões de metros cúbicos diários.