01/03/2018

ONS: carga sobe 0,7% em janeiro

Fonte: Canal Energia

Na comparação com dezembro, houve aumento de 3%.

A carga de energia do Sistema Interligado Nacional em janeiro chegou a 68.633 MW med, tendo aumento de 0,7% na comparação com o mesmo mês de 2017. Na comparação com dezembro de 2017, houve crescimento de 3%. No acumulado dos últimos 12 meses, o SIN teve variação positiva de 1,1% em relação ao mesmo período anterior.

De acordo com o ONS, o comportamento da carga de energia é afetado diretamente pelo desempenho da economia, que vem dando sinais mais consistentes de recuperação. A configuração do fim da recessão no país reforça o entendimento. Nas duas primeiras semanas do mês, a máxima diária nas principais capitais das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul, registrou, em geral, valores inferiores aos observados no mesmo período do ano anterior.

No subsistema Sudeste/Centro-Oeste, a carga subiu 0,6%, chegando a 40.116 MW med. Apesar do bom momento da economia, as temperaturas amenas influenciaram negativamente no desempenho da carga no período. Com relação a dezembro, há um aumento de 4,5%. No acumulado dos últimos 12 meses, o subsistema teve variação de 0,6%, em relação ao mesmo período anterior.

Na região Sul, a carga de 12.095 MW med mostra um aumento de 0,3%. A variação é explicada principalmente pela ocorrência de temperaturas inferiores às verificadas no mesmo mês do ano anterior. Na comparação com dezembro, há uma subida de 3,3%. No acumulado dos últimos 12 meses, o Sul apresentou um crescimento de 2,4%, em relação ao mesmo período anterior.

O subsistema Nordeste teve aumento de 0,4% na carga de 11.010 MW med. O comportamento da carga se explica principalmente pela redução temporária do consumo de um consumidor industrial conectado na Rede Básica. Na comparação com o mês anterior, não há variação. Porém em 12 meses o aumento chegou a 0,6%.

Na região Norte, a carga de 5.411 MW med mostra um aumento de 3,8% em relação ao valor do mesmo mês do ano anterior. A ocorrência de temperaturas maiores que as registradas no ocorridas no mesmo período do ano anterior, principalmente em Manaus e Belém, contribuíram para o desempenho da carga desse subsistema.