19/03/2018

São Paulo comemora o dia da energia solar com seminário para discutir o futuro da fonte fotovoltaica

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

A data é comemorada todo dia 20 de março, conforme determinar a Lei Municipal 16.450/2016

O subsecretário de Energias Renováveis do Estado de São Paulo, Antonio Celso de Abreu Junior, participou nesta segunda-feira, 19 de março, na Câmara Municipal de São Paulo, do seminário sobre Energia Solar: Desafios e diretrizes para uma política municipal.

“O Governo do Estado de São Paulo tem se esforçado para estimular o uso de energias renováveis, por meio de variados programas que a Secretaria de Energia e Mineração tem desenvolvido. Estamos incentivando a compra dessas energias pelo Estado, uma política fiscal competitiva e financiamentos especiais para produção”, destacou Antonio Celso.

O evento, promovido pelo vereador Eliseu Gabriel, contou com a participação de representantes de importantes entidades do setor, e debateu conceitos sobre a energia solar, sua importância para o clima e para a sustentabilidade, pesquisas e formação de profissionais para atuarem na área, cadeia produtiva, geração de empregos verdes, regulação e financiamento.

“Existem programas de incentivo do Governo do Estado, mas nós queremos ampliar esse apoio ao setor, aqui na cidade de São Paulo, maior consumidora de energia do país”, afirmou o vereador Eliseu Gabriel.

Para Antonio Otaviano, diretor de pós-graduação do Instituto Superior de Inovação e Tecnologia – ISITEC, “a energia mais cara é aquela que não é explorada. Por isso a importância da capacitação das pessoas para ampliar essa atividade. Pensando nisso é que criamos o curso de pós-graduação em energia fotovoltaica”, afirmou.

Carlos Evangelista, presidente da Associação Brasileira de Geração Distribuída – ABGD, ressaltou que para o fomento do uso de geração distribuída de energia é fundamental ter políticas governamentais para o setor, que crie demandas de consumo desse tipo de energia.

Segundo o presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica – Absolar, Rodrigo Sauaia, a geração distribuída de energia solar fotovoltaica já oferece 20 mil novos empregos no setor de energia e a redução de preço da tecnologia tem ampliado essas oportunidades.

Rogério P. Jorge, diretor de Relacionamento da AES Tietê, destacou que os projetos da empresa em São Paulo, são muito expressivos por conta da cadeia produtiva, o potencial de insolação e os incentivos da política governamental.

Para João Alberto Canteiro, diretor do Departamento de Edificações da Secretaria Municipal de Serviços e Obras, “a prefeitura de São Paulo está tentando, por exemplo, fomentar o uso de energia fotovoltaica através da adoção dessa energia em novas edificações próprias do município”, afirmou.

Álvaro Sedlacek, diretor Financeiro e de Negócios da Agência de Desenvolvimento Paulista – Desenvolve SP, destacou que é sempre um desafio falar de financiamento de energia fotovoltaica e que a Desenvolve SP tem se esforçado para conseguir esse mercado, tanto na produção como no consumo.

“São Paulo, pela sua dimensão, pode ser um exemplo para outras cidades no uso de energia fotovoltaica. E o BID pode colaborar muito para isso”, afirmou Arturo Alarcon, especialista em energia do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID.

O representante da WWF-Brasil, Ricardo Fujii, afirmou que lutar pela preservação do meio ambiente é o princípio da instituição e incentivar o uso da solar fotovoltaica também é uma importante forma de contribuir com essa tarefa.

Igor Reis Albuquerque, da ICLEI-Governos Locais para a Sustentabilidade, destacou as atribuições da instituição e falou sobre a importância da congregação dos governos para as políticas de sustentabilidade.

O evento é voltado para associações que representam a cadeira produtiva do setor, órgãos de governo, organizações da sociedade civil envolvidas com gestão ambiental e sustentabilidade, entidades acadêmicas e de pesquisa e agências de financiamentos. O maior desafio, segundo os organizadores, é a participação de todos na identificação de desafios e da proposição de ações para ampliar o uso de energia solar fotovoltaica na cidade de São Paulo.