07/03/2018

Toyota eliminará carro a diesel na Europa

Fonte: Folha de S. Paulo

A Toyota anunciou nesta segunda-feira (5) que vai parar de vender carros a diesel na Europa e iniciar a eliminação gradual ainda neste ano.

“O diesel será eliminado em nossos automóveis de passageiros em 2018”, disse Johan van Zyl, presidente da Toyota Motor Europe, em Genebra, onde o primeiro grande evento automotivo do ano na Europa, começa nesta semana.

“Não iremos desenvolver nova tecnologia de diesel para automóveis de passageiros, continuaremos focando veículos híbridos.”

Um escândalo de fraude de emissões, que explodiu na Volkswagen em 2015, aumentou o descrédito sobre a tecnologia diesel, criticado por expelir óxido de nitrogênio e partículas nocivas.

Esse foi um grande golpe para os fabricantes de automóveis, que essencialmente tentaram apostar no diesel, enquanto se esforçaram por anos para reduzir as emissões de gás carbônico‚ com o apoio das autoridades públicas.

Grandes cidades, como Paris, anunciaram planos para proibir o diesel, enquanto um dos principais tribunais alemães abriu, no mês passado, o caminho para as cidades proibirem os carros movidos com o combustível mais antigo nas ruas.

No ano passado, quase 15% das vendas da Toyota na Europa foram de veículos a diesel, em comparação com 30% em 2012. Enquanto isso, as vendas dos modelos híbridos da empresa aumentaram acentuadamente.
Elétricos

Incentivadas por regras cada vez mais rígidas de emissão de fumaça, as montadoras estão investindo cada vez mais nos motores elétricos.

França e Reino Unido, por exemplo, já anunciaram que carros com motor convencional não serão permitidos a partir de 2040.

Em julho do ano passado, a Volvo anunciou que todos os seus modelos terão motores elétricos a partir de 2019, o que a tornou a primeira montadora de automóveis convencional a decretar o fim dos veículos movidos apenas por motores de combustão.

Outras montadoras fazem movimentos similares. A BMW, que desde 2013 criou uma marca para seus híbridos e elétri­cos –a “i”–, anunciou ofensiva para fazer 25 modelos híbridos e elétricos nos próximos anos.

A PSA, que controla a Peugeot e a Citroën, anunciou em janeiro que oferecerá propulsão elétrica como opção em todos os seus modelos, a partir de 2025.

Um entrave para a popularização dos carros elétricos é o custo da bateria ainda muito elevado.

Segundo Daniele Schillaci, vice-presidente da Nissan, os preços dos veículos a bateria e dos tradicionais vão se igualar em 2025, o que eliminará a necessidade de subsídios estatais que hoje sustentam as vendas dos elétricos.