23/04/2018

Gas Natural Fenosa prevê investir R$ 428 milhões este ano

Fonte: Valor Econômico

A companhia espanhola Gas Natural Fenosa pretende aumentar em 5% os investimentos na área de distribuição de gás no Brasil este ano. A empresa, que controla as concessionárias CEG e CEG Rio, no Rio de Janeiro, e a Gas Natural SPS, na região Sul do Estado de São Paulo, prevê investir, ao todo, R$ 428,8 milhões em 2018, no segmento.

A multinacional também anunciou a intenção de investir mais cerca de R$ 400 milhões (95 milhões de euros) para desenvolver seu segundo projeto fotovoltaico no país, depois de estrear no mercado brasileiro de energia solar, em 2016.

A multinacional de origem espanhola abastece cerca de 1,085 milhão de clientes de gás natural no Rio e em São Paulo. As três concessionárias controladas pela empresa no Brasil, maior mercado de gás da companhia na América Latina, geraram receitas de R$ 6,77 bilhões no ano passado. O lucro líquido das três distribuidoras, por sua vez, somou R$ 470 milhões, o que representa um aumento de 17% ante 2016.

O mercado mais importante da companhia é da área de concessão da CEG, na região metropolitana do Rio de Janeiro. A distribuidora concentrará a maior parte dos investimentos previstos pela Gas Natural Fenosa no Brasil este ano: R$ 309 milhões, o equivalente a 72% dos aportes previstos pela multinacional.

O orçamento representa um acréscimo de 12% ante 2017. A companhia esclareceu, contudo, que os valores ainda são provisórios, já que o processo de revisão tarifária da concessionária ainda não foi concluído.

A CEG Rio, por sua vez, receberá investimentos de R$ 76 milhões, uma queda de 22% frente ao ano passado, enquanto a Gás Natural SPS investirá R$ 43,8 milhões este ano – uma alta de 21% frente a 2017.

Além do mercado de distribuição de gás, a multinacional de origem espanhola também atua no mercado de geração de energia, no Brasil, desde fins de 2016, quando a adquiriu, por meio de sua subsidiária Global Power Generation (GPG), uma fatia de 85% em duas usinas de energia solar fotovoltaica do grupo Gransolar, no Piauí: Sobral I e Sertão I, que entarram em operação em 2017 e totalizam 68 megawatts-pico (MWp) de capacidade.

Em março, a Gas Natural Fenosa anunciou a aquisição de mais dois empreendimentos fotovoltaicos no país: Guimarania I e Guimarania II, que somam 83 MWp, em Minas Gerais, e demandarão investimentos de 95 milhões de euros (R$ 400 milhões). A expectativa é de que eles entrem em produção no quarto trimestre deste ano.