08/05/2018

Consumo de energia subiu 3,6% em abril, indica CCEE

Fonte: Canal Energia

No setor industrial, veículos registraram maior alta no consumo, com 15,9% e serviços a única retração, com 1,2%. ACL subiu 9,6%

O consumo de energia aumentou 3,6% no país e a geração elétrica teve acréscimo de 4,2% em abril na comparação com o mesmo período de 2017, conforme dados preliminares de medição coletados pela CCEE. A análise do boletim InfoMercado Semanal Dinâmico indica que o consumo de energia no Sistema Interligado Nacional – SIN, ao longo de abril, foi de 61.744 MW médios, índice 3,6% superior ao registrado em abril de 2017, quando as temperaturas observadas no período foram mais amenas quando comparadas as deste ano.

No Ambiente de Contratação Regulado – ACR (cativo), o consumo foi 1,1% superior, já considerando na análise as cargas de consumidores que migraram para o mercado livre (ACL). Caso a migração não fosse considerada, haveria incremento de 2,8% no consumo.

Por sua vez o consumo no Ambiente de Contratação Livre – ACL cresceu 9,6% em abril, índice que engloba as cargas oriundas do ACR na análise. Caso o impacto da migração não fosse levado em conta, o consumo seria 5,5% superior.

Dentre os ramos da indústria avaliados pela Câmara, incluindo dados de autoprodutores, varejistas, consumidores livres e especiais, os setores de veículos, bebidas e alimentício registraram aumento no consumo de 15,9%, 11,6% e 8,8% respectivamente, mesmo sem o impacto da migração na análise. Quanto a retrações, apenas o segmento de serviços apresentou declínio no consumo dentro do mesmo cenário, que foi de 1,2%.

Já a geração de energia atingiu 65.175 MW médios em abril, índice 4,2% superior ao registrado no ano passado. A produção das usinas hidráulicas, incluindo as PCHs, cresceu 10,1% e das usinas eólicas 2,8%. As térmicas, por outro lado, registraram queda de 19,2% na produção de energia no período.

O boletim também apresenta estimativa da produção das hidrelétricas que integram o Mecanismo de Realocação de Energia – MRE. Em abril, houve o equivalente a 99,6% de suas garantias físicas, ou 48.767 MW médios em energia elétrica. Para fins de repactuação do risco hidrológico, o percentual é de 88,6%.