21/05/2018

Ministro critica valor das tarifas de energia

Fonte: Canal Energia

Para Moreira Franco, consumidor devera conhecer mais a composição da tarifa

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, criticou o valor das tarifas de energia praticados no Brasil. Em palestra nesta sexta-feira, 18 de maio, na Associação Comercial do Rio de Janeiro, o ministro empossado no último mês de abril, lembrou que a tarifa do Brasil é uma das mais caras do mundo e que o consumidor deveria ter mais esclarecimentos sobre a composição dela. Moreira atacou ainda a alta carga tributária, que faz com que os preços foquem elevados. “Somos a quinta energia mais cara do mundo. É preocupante que ninguém sabe como é a composição. É fundamental que isso seja esclarecido”, avisa. O MME está com uma consulta pública aberta desde o começo do mês para reduzir os subsídios da Conta de Desenvolvimento Energético, o que poderia reduzir o valor da tarifa.

Segundo o titular do MME, é preciso que o consumidor tenha na sua residência um aplicativo para que ele avalie o gasto com energia que ele tem. Ele considera itens com combustíveis e energia como fundamentais ao cidadão e que devem demandar maior esforço para que tenham preços justos. O ministro também citou que governadores de estado acham mais fácil elevar o ICMS que fazer esse debate sobre a composição da tarifa. Na palestra, o ministro lembrou ainda que foi ele quem deu a ideia ao presidente Michel Temer de prorrogar o Programa Luz para Todos por decreto e não seguindo o trâmite anterior, que não se mostrava eficiente.

Sobre a privatização da Eletrobras, o ex-governador do Rio de Janeiro disse ainda que a decisão está nas mãos da Câmara dos Deputados e que o governo já tinha feito tudo para mostrar que o processo de privatização da empresa se mostrava indispensável par o seu futuro.

Leilões – A expectativa do ministro para os próximos leilões do setor é boa. Para os leilões de LTs, ele acredita que os dois restantes desse ano sinalizem investimentos de R$ 6 bilhões cada um e frisou que o próximo leilão A-6 de agosto teve mais de mil projetos cadastrados.