14/06/2018

Subsecretaria de Energias Renováveis participa da elaboração de cartilha internacional sobre energia solar

Fonte: Secretaria de Energia e Mineração

Estudo apresenta dados sobre fatores atmosféricos e consumo de eletricidade

A Secretaria de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, por meio da Subsecretaria de Energias Renováveis participou como entidade colaboradora da elaboração do estudo “Energia Solar – Fundamentos para otimização da geração fotovoltaica”. O documento é resultado de um intercâmbio científico do Instituto do Mar da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Institut für Meteorologie und Klimatologie (Imuk) da Leibniz Universität de Hannover da Alemanha.

“Essa cartilha lança mais questionamentos e luz sobre fatores que ainda estão em desenvolvimento, além de apresentar a relação entre a geometria da instalação de sistemas fotovoltaicos as condições atmosféricas locais e a curva diária de consumo de energia elétrica”, explicou o subsecretário de Energias Renováveis, Antonio Celso de Abreu Junior, que participou das Oficinas sobre Energia Solar.

O projeto recebeu financiamento do programa NoPA (Novas Parcerias) da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e do DAAD  (Deutscher Akademischer Austauschdienst) que visam promover o estabelecimento de cooperação internacional entre instituições de pesquisa brasileiras e alemãs.

A Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) proveu suporte para o desenvolvimento das ações previstas e foi a instituição responsável pela coordenação financeira das atividades que resultaram na publicação desta cartilha.

Em conjunto com o estudo foi apresentado a segunda edição do “Atlas Brasileiro de Energia Solar” desenvolvido pelo Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST) do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), através do seu Laboratório de Modelagem e Estudos de Recursos Renováveis de Energia (LABREN), em parceria com a Unifesp, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC).