03/12/2018

Petroleiras e mineradoras vão apoiar novo ministro do MME para atrair investimentos

Fonte: Reuters

As associações que representam as petroleiras e as mineradoras no Brasil afirmaram em nota nesta sexta-feira que apoiarão o futuro ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, na formulação de políticas e de medidas de longo prazo para a atração de investimentos.

A indicação de Albuquerque foi anunciada mais cedo pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, em sua conta do Twitter, surpreendendo especialistas do setor energético, uma vez que o nome do militar, pouco conhecido no segmento, não surgiu por meio de indicações do mercado, nem políticas.

O Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), que representa gigantes petroleiras no Brasil, parabenizou Albuquerque pela indicação e disse que continuará contribuindo com a formulação de políticas para o setor de energia.

Além da Petrobras, outras gigantes petroleiras internacionais como Shell, Exxon Mobil, Total, Equinor, que têm expandido cada vez mais investimentos no pré-sal brasileiro, são associadas ao IBP.

“O instituto confia que o almirante Bento dará continuidade à implementação de reformas importantes do setor de óleo e gás e um calendário de Rodadas de Licitação que permitam a retomada da competitividade de um dos segmentos industriais mais importantes para a economia brasileira”, disse o IBP.

Patrocinado

O instituto defendeu ainda a manutenção de um mercado aberto, competitivo e com capacidade de atrair e captar os investimentos necessários para converter reservas em riquezas.

Já o Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), que representa empresas como Vale, Anglo American e CSN, afirmou que colocará todo o seu conhecimento técnico à disposição da equipe do futuro ministro para contribuir com a construção de uma política de longo prazo para o desenvolvimento da indústria da mineração.

“O Ibram vê como positiva a indicação do novo ministro e acredita na sua capacidade em conduzir a pasta de acordo com as necessidades do país”, afirmou o Ibram em nota.

Segundo o instituto, o Brasil tem histórica vocação mineral e é um dos principais geradores de divisas comerciais para o país.

Na visão do Ibram, o setor mineral “apresenta enorme potencial para atrair investimentos e, assim, multiplicar a produção de bens minerais”.