São Paulo em busca das crianças e adolescentes desaparecidos

O desaparecimento de uma pessoa e/ou a dificuldade para que ela possa ser identificada podem configurar situações presentes no cotidiano de trabalho de profissionais de diferentes áreas do serviço público estadual que lidam, principalmente, com o atendimento ao público.
Crianças e adolescentes desaparecidos podem estar em situação de maior vulnerabilidade e por estarem se desenvolvendo suas características físicas vão se modificar podendo dificultar sua identificação.

A Comissão Multidisciplinar de Acompanhamento Permanente do Programa “São Paulo em busca das crianças e dos adolescentes desaparecidos”, instituída por meio Decreto Nº 58.074 de 25 de Maio de 2012, elaborou o protocolo de ações “Alguém desaparece ou é encontrado sem identificação – O que fazer?

Esse Protocolo de Ações visa auxiliar esses profissionais no sentido de executar um encaminhamento adequado e lembrá-los das instâncias existentes nas quais ela possa buscar mais orientações. O formato como um Check List tem a finalidade de auxiliar o leitor quanto aos procedimentos para informar o desaparecimento de uma pessoa, independentemente de sua idade, e do encontro de alguém sem identificação.

Esse instrumento pode e deve ser utilizado, também, por profissionais que trabalham em escolas ou faculdades particulares, hospitais ou clínicas particulares, ONGs, empresas, comércio entre outros.
Informar o desaparecimento de alguém bem como o encontro de uma pessoa sem identificação são ações que não devem ser feitas apenas por uma pessoa e somente de uma vez. Quanto mais tentativas, maiores são as chances de ajudarmos uma família que vive a angústia do desaparecimento de um familiar.