2.1

A energia elétrica no Estado

Com mais de 18 milhões de unidades consumidoras, as distribuidoras de energia elétrica que atuam no Estado de São Paulo atendem a um consumo anual de eletricidade de cerca de 130 mil GWh.

A indústria paulista, responsável pelo maior parque industrial do país, consome cerca de 35% de toda energia utilizada no Estado. As residências, que possuem mais de 90% do número de unidades consumidoras, são responsáveis por mais de 30% do consumo, seguidos pelo comércio com 25% e os demais setores com aproximadamente 10%.

Mais da metade da matriz energética paulista é produzida a partir de fontes renováveis. São Paulo tem capacidade instalada de aproximadamente 23 GW, o que corresponde a 16% da geração brasileira. As hidrelétricas são responsáveis por 65% da produção paulista, as termoelétricas a biomassa por 25% e as termoelétricas fósseis pelos 10% restantes. As fontes fotovoltaica e eólica, apesar de já contarem com instalações no Estado, ainda não têm representatividade na matriz estadual.

O mercado de energia elétrica se divide entre consumidores livres, com direito a escolher seu fornecedor, e consumidores cativos, vinculados à concessionária que atende sua região. Para participar do mercado livre, o consumo precisa consumir mais de 500 kW. Abaixo deste valor, o usuário utiliza o mercado cativo via distribuidoras locais.