Geração Distribuída

São consideradas mini ou microgeração distribuída a produção de energia elétrica a geradas a partir de pequenas centrais que utilizam fontes renováveis de energia elétrica conectadas à rede de distribuição por unidades consumidoras. Microgeração possui potência instalada menor ou igual a 75 kW, enquanto que a minigeração distribuída tem potência instalada superior a 75 kW e menor ou igual a 3 MW, para a fonte hídrica, ou 5 MW para as demais fontes.

O Governo de São Paulo incentiva a implantação de projetos de Geração Distribuída de Energia Elétrica que tenham o objetivo de aumentar a confiabilidade do sistema de energia, a modernização do parque de equipamentos, redução dos custos operacionais e a ampliação da segurança energética.

E também a modernização do complexo de máquinas, geração elétrica a gás, instalação de sistema fotovoltaico, banco de baterias, iluminação com led e a modernização dos sistemas de ar condicionado do Instituto Butantan, que tem o objetivo de aumentar a confiabilidade do fornecimento de energia para o Instituto, gerar economia no consumo e reduzir custos de manutenção dos equipamentos. Hoje, existem na instituição 4.700 ar condicionados, laboratórios, câmaras frias e 53 geradores a diesel com em média 18 anos de uso.

O modelo de geração distribuída que mais cresce em São Paulo é a solar fotovoltaica em casas, comércios e indústrias. O Estado conta atualmente com mais de 4 mil empreendimentos de micro e mini geração distribuída com potência instalada de mais de 25MW.