4.3

Recuperação de Área Lavrada

O Governo do Estado de São Paulo trabalha junto às empresas de mineração para promover uma nova destinação das áreas lavradas que gere emprego, renda e lazer para a população.

Duas áreas que serviram para a extração de areia na cidade de São Paulo são bastante conhecidas do público: a raia olímpica da USP e o lago do Parque do Ibirapuera. Após o final das operações as duas regiões foram recuperadas e transformadas em reservatórios pluviais, sendo hoje duas das principais áreas de lazer da capital paulista.

A recuperação de áreas lavradas de mineração deve levar em consideração a reabilitação e o uso futuro como unidades de conservação, parques temáticos, reservas ecológicas, hotéis, centros de exposição ou iniciativas de interesse púbico como aterros sanitários, aterros de inertes, reservatórios hídricos, áreas destinadas a ocupação urbana ou industrial, entre outros.

A mineração é uma atividade meio, que deve se integrar aos processos de desenvolvimento municipal e metropolitano, beneficiando um legado de maior valor agregado às futuras gerações.

A Subsecretaria de Mineração tem atuado junto às prefeituras para apoiar o minerador a integrar o planejamento de lavra para esses usos futuros.